Foi preso na noite deste sábado (30), no extremo oeste de Santa Catarina, um argentino, de 19 anos. Ele é acusado de estuprar a própria filha, um bebê de 4 meses, até a morte. A ação foi efetuada pelas polícias Civil e Militar.

O Delegado Lucas Almeida, responsável pelo plantão na ocasião, relata que a denuncia chegou do hospital de Dionísio Cerqueira, pois uma funcionária do hospital teria revelado que uma família de argentinos, da Cidade de Poço Azul, Argentina, teria levado uma bebê para atendimento médico no hospital após ter passado por uma farmácia.

A bebê acabou falecendo decorrente da evolução do quadro de saúde após sucessivos estupros. O delegado esclarece que tanto o pai, a mãe, e a avó da criança falavam que não sabiam o que tinha acontecido, mas, em depoimento, a mãe da criança, menor de 15 anos, esclareceu que soube dos estupros desde o dia 28 de abril, e que no próprio dia 30, notou sangramento em um momento que o pai ficou a sós com o bebê.

A mãe da criança também revelou que eles não procuraram atendimento na Argentina porque achavam que no Brasil não poderiam ser responsabilizados. Almeida explica que foram coletadas roupas do suspeito e material genético do suspeito para perícia de confronto genético com o matéria a ser coletado do bebê.

Ainda de acordo com informações, o estado do corpo do bebê evidencia que houve lesões gravíssimas no ânus e vagina da criança, além de indícios de sexo oral. Por fim, o Delegado Lucas Almeida confessa nunca ter visto, em toda carreira, um crime tão bárbaro quanto esse, e a gravidade das lesões verificadas.

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul

Fonte: Aconteceu