Pelo quinto dia consecutivo as equipes do Corpo de Bombeiros, do Helicóptero Saer/SaraSul, da Polícia Civil, e da Marinha Brasil não puderam localizar o jovem Michel Ricardo Barbosa, 25 anos. Ele e outras seis pessoas estavam na lancha que virou na boca do Canal dos Molhes, em Laguna, na tarde da última sexta-feira (14).

As buscas iniciaram às 7 horas e foram encerradas por volta das 20 horas. Conforme o major Rafael, subcomandante 8º Batalhão de Bombeiros Militar de Tubarão, os trabalhos se concentraram nas praias de Laguna e Jaguaruna.

Por terra, os guarda-vidas civis também auxiliam fazendo o monitoramento do mar. Os trabalhos serão retomados às 7 horas desta quarta-feira (19) – Veja detalhes do trabalho de hoje no vídeo do major Rafael, abaixo:

Todos os sete ocupantes da lancha são de Caçador, no Oeste de Santa Catarina, e passavam férias em Laguna. Dois morreram no local: o vereador Ricardo de Moraes Barbosa (48) e o amigo da família Deyvid Fernandes (29), conhecido como Jabu.

Outras quatro pessoas que estavam na lancha foram resgatadas e sobreviveram: Danilo Zago Marcolino, 34 anos, piloto da lancha; Olvio Mattei Neto, 31, Danilo de Mello Maccari, 31 e Rodrigo de Moraes Barbosa Junior, 29 anos. Michel, único filho do vereador falecido, desapareceu no mar. Ele era graduado em educação física e morava em Videira, também no Oeste catarinense.

 

Marinha investigará abrirá um inquérito para apurar as causas do acidente
O naufrágio da lancha que causou a morte do vereador Ricardo de Moraes Barbosa (PSDB), do amigo da família Deyvid Fernandes e o desaparecimento do filho do parlamentar, Michel Ricardo, será investigado por meio de um inquérito administrativo.

A informação foi confirmada na noite desta sexta-feira (14), em nota divulgada pela Capitania dos Portos em Laguna. A entidade militar é a responsável por orientar, instruir e fiscalizar o tráfego aquaviário na região. Conforme o comunicado, o inquérito tem como objetivo apurar as causas, circunstâncias e responsabilidade do acidente. A investigação deve durar cerca de 45 dias.

O acidente com a lancha ocorreu a alguns metros do local onde o estudante Pablo Micael Silvério Sabino, 14 anos, perdeu a vida após se afogar no dia 31 de dezembro último. Essa é a segunda tragédia que ocorre na mesma área, que não tem proteção de guarda-vidas.

 

 

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul