Uma investigação realizada pela Polícia Civil de Santa Catarina, por meio da delegacia de Polícia de Gravatal, resultou na identificação de uma fraude de grande relevância, e foram recuperados aproximadamente R$ 70 mil em um esquema envolvendo um falso leilão pela Internet.

No fim de abril, a vítima procurou a delegacia na cidade para registrar a ocorrência. Ela informou que teria encontrado na Internet um site de leilões de veículos e que havia juntado economias de toda uma vida para adquirir um bom automóvel.

Após algumas tratativas com os suspeitos no suposto leilão, a vítima acabou comprando um veículo no valor de aproximadamente R$ 74 mil, e fez um depósito bancário na conta de um dos envolvidos na farsa.

O esquema fraudulento é bastante atrativo e sofisticado, conta com vários atendentes, site com chat online, entre outros recursos. A pessoa lesada passou a desconfiar de que teria caído num golpe quando os suspeitos lhe bloquearam alguns meios de contato.

Foi quando procurou a Polícia Civil. Imediatamente foi registrado o boletim de ocorrência e reunidos alguns indícios de que se tratava de uma fraude. O banco destinatário do depósito foi oficiado e solicitado o bloqueio do montante.

Também foi acionado o setor de segurança bancária para implementar rotina de investigação. Paralelo à ação da polícia, a vítima entrou com uma ação cível requerendo o sequestro e a devolução do dinheiro, medida que foi deferida pelo judiciário da comarca de Armazém.

Após a comprovação material de fortes indícios da fraude, foi possível o bloqueio do dinheiro e o ressarcimento de grande parte do prejuízo da vítima, sendo devolvido a ela na última semana aproximadamente R$ 70 mil.

A Polícia Civil de Gravatal alerta para que as pessoas tomem cuidado com ofertas atrativas nestes tempos de pandemia. Vários criminosos têm migrado para o ambiente da Internet e a criatividade destes marginais não tem limites.

A dica é sempre desconfiar e checar exaustivamente todas as referências possíveis e, em qualquer tipo de dúvida, tentar conferir fisicamente se aquele comércio ou pessoa realmente existem.

O procedimento policial deve ser instruído no local onde se obteve a vantagem indevida e todas as provas colhidas serão juntadas para instruir estas investigações. As diligências investigativas foram realizadas pelos policiais civis da delegacia de Polícia de Gravatal e coordenadas pelo delegado André Luis Mendes da Silveira.