Braço do Norte

O advogado do homem acusado de matar José Adelson da Silva, o Deco, em Braço do Norte, no domingo, esteve ontem na delegacia da cidade. Segundo o chefe do setor de investigação da Polícia Civil, Alexandre Martimiano, uma negociação é realizada para que o suspeito apresente-se.

“Caso isto não ocorra nos próximos dias, o mandado de prisão será solicitado à justiça. Acreditamos que ele se entregará”, prevê o investigador. Deco foi morto com duas facadas no cemitério municipal de Braço do Norte, quando foi visitar o túmulo de seu pai.

Seu corpo foi encontrado por populares às 17h30min. O crime tem grande repercussão na cidade, pois trata-se de uma rixa antiga entre os dois homens, que são empresários bem conhecidos. Este foi o primeiro homicídio registrado este ano em Braço do Norte. As investigações são coordenadas pelo delegado Francisco Ribeiro Soares.
No ano passado, foram quatro assassinato no município, que se manteve em terceiro lugar na quantidade de crimes deste tipo entre as cidades que integram a Região Metropolitana de Tubarão.

Jovem que feriu seis pessoas está no presídio

A população de Braço do Norte vive momentos de tensão. O domingo foi marcado, além do homicídio do empresário José Adelson da Silva, o Deco, por uma briga que resultou em vários feridos. A confusão ocorreu no CTG Estância do Vale.
Um jovem de 20 anos feriu seis pessoas com uma faca. “Estamos em fase de colher depoimentos das vítimas. No domingo, constatamos que eram cinco feridos. Mas apareceu mais um”, acrescenta o chefe do setor de investigação da Polícia Civil, Alexandre Martimiano.

No total, são quatro adolescentes entre 16 e 17 anos e dois jovens de 19 e 20 anos. Todos tiveram cortes superficiais e não correm risco de morte. O acusado foi conduzido ao Presídio Regional de Tubarão na madrugada de ontem.
No dia do crime, ele também se machucou e foi detido no hospital. Em dez dias, a Polícia Civil enviará o inquérito ao judiciário. Os motivos da confusão são investigados.