Mirna Graciela
Tubarão

Três dos cinco acusados de envolvimento no tráfico de drogas sintéticas, em Tubarão, tiveram a prisão preventiva revogada. Eles estavam presos no Presídio Regional.
A decisão ocorreu em audiência nesta sexta-feira, no fórum. Agora, todos têm o direito de responder o processo em liberdade. Isto porque os outros dois já haviam conquistado o benefício.
No entanto, eles são obrigados a cumprir medidas cautelares como, por exemplo, estar recolhidos à noite e em dias de folga. Mais de 30 testemunhas (seis de acusação e o restante de defesa) prestaram depoimentos, durante seis horas de sessão.

O interrogatório dos cinco réus foi marcado para o próximo dia 20, portanto, a audiência não foi concluída. As investigações iniciaram em dezembro do ano passado, quando um deles, de 23 anos, foi perseguido na BR-101. Os policiais da Divisão de Investigações Criminais de Tubarão (DIC) apreenderam vários tubos de lança-perfume.

Durante a fuga, o rapaz reagiu de diversas formas. Jogou o carro em cima de um delegado, no instante que foi ordenado a parar, deu marcha à ré, bateu em uma viatura e lançou alguns tubos pela janela. Disparos foram feitos nos pneus do carro para contê-lo. Cerca de um mês depois, os outros envolvidos foram presos (eram todos do mesmo grupo).
O caso teve bastante repercussão por se tratar de jovens universitários de classe média alta. As drogas eram vendidas em festas eletrônicas, as chamadas raves.