Silvana Lucas
Tubarão

Perto de completar um mês do atropelamento do tubaronense Daniel dos Passos Pires, 4 anos, em Laguna, o acusado de dirigir o carro deverá ser indiciado pelo crime e por não prestar socorro à vítima. O motorista, 19 anos, chegou a ficar detido por alguns dias, mas ganhou a liberdade na mesma semana em que o menino saiu da Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

O delegado responsável pelo caso, Flávio Costa Gorla, informou que as últimas testemunhas presenciais foram ouvidas e que faltava somente a entrega do laudo pericial para que o caso fosse concluído pela polícia.

“Os documentos periciais foram entregues agora à noite (ontem), confirmando que o rapaz passou mensagens via celular para amigos, relatando o crime. Também ficou comprovado que o carro usado no dia do atropelamento apresentava na vistoria técnica problemas no retrovisor (o que atingiu o menino), colado com uma nova fita adesiva. Fato que caracteriza ter sido quebrado durante a colisão”, informa Flávio.

Além destas provas, o delegado unirá as informações das investigações e o inquérito seguirá para o judiciário da Cidade Juliana. “Os peritos também encontraram vestígios dos 14 gramas de maconha apreendidos, anteriormente com o rapaz.

Diante de todas as circunstâncias ele será indiciado pelo crime de tentativa de homicídio e fuga, sem prestar socorro”, declara Flávio. 

Relembre o acidente 
Daniel foi atropelado em um sábado à tarde, nas imediações do Laguna Tourist Hotel. O rapaz fugiu quando atropelou o garoto. Algumas pessoas que presenciaram o acidente informaram à polícia que o condutor dirigia um Fiat Uno verde claro e fugiu em alta velocidade. O veículo da família estava estacionado em frente à residência quando o pai fechava a porta da casa, e a mãe e a irmã já aguardavam dentro do automóvel para todos saírem. Daniel aproximava-se do carro para abrir a porta e foi atingido na cabeça. O condutor do veículo chegou a ficar detido alguns dias,  na Unidade Prisional Avançada (UPA), de Laguna, mas foi liberado na mesma semana em que a criança saiu da UTI. 

Recuperação do menino
Daniel está em casa, em Tubarão, mas realiza vários tratamentos para voltar à vida normal. “Daniel está em casa desde o dia 21, mas ainda não consegue andar com firmeza. Pouco mexe o braço direito, fala com dificuldades e precisa de muitos cuidados. Faz tratamento com fisioterapeuta, fonoaudiólogo e na próxima semana irá novamente ao neurologista que o acompanha desde o acidente”, lamenta o pai. Os familiares contam que o menino questiona o que ocorreu, sente dores e chora com frequência. Além de lamentar as atuais limitações motoras. O pai lembra que no dia do atropelamento o veículo vinha em alta velocidade e atingiu a criança com o retrovisor. Além de ferir gravemente o local, o menino foi arremessado, onde teve fraturas, traumatismo craniano e um edema. “Somente tenho a agradecer a todas as pessoas que rezaram pela melhora do meu filho. Agradeço também aos médicos, policiais, socorristas e à equipe do UTI neonatal do HNSC, em Tubarão. Quanto ao rapaz, que feriu gravemente meu filho, espero que tenha aprendido uma lição e que a justiça seja feita”, finaliza o pai.