Maycon Vianna
Braço do Norte

O aumento dos casos de violência sexual em Braço do Norte tem preocupado o Conselho Tutelar, os policiais civis, as famílias e as autoridades da cidade. Só nos primeiros cinco meses deste ano, foram constatados 25 casos de abuso sexual em crianças e adolescentes do município. Os números são assustadores se comparados com os do ano passado, quando, no total, foram registrados 32 casos de janeiro a dezembro de 2008.

”É difícil a semana que não temos nenhum caso ou nenhuma denúncia. Os 25 casos confirmados foram encaminhados para a perícia técnica no Instituto Geral de Perícias (IGP) de Tubarão”, lamenta a presidenta do Conselho Tutetar de Braço do Norte, Kassiana da Silva Elias.

A maioria dos casos de violência sexual ocorre no convívio familiar. “Os casos são relacionados aos próprios pais e outros familiares que frequentam a casa das vítimas e até mesmo a mãe ou amiga que abusam ou agenciam a criança e o adolescente”, observa a conselheira tutelar de Braço do Norte, Adriana Vicente.
Segundo confirma do delegado de Polícia Civil da cidade, Bruno Vaz Marinho, a violência sexual não se restringe há apenas um tipo de classe social. “Ricos, pobres, enfim, são casos que envolvem todas as classes sociais. Infelizmente, temos que ter um acompanhamento frequente e constante para evitarmos que os números aumentem. As campanhas de prevenção são sempre bem-vindas”, diz o delegado.

O abuso geralmente ocorre
na casa da vítima

Os casos de abuso sexual em Braço do Norte, geralmente, ocorrem dentro da própria casa da vítima. A criança evita denunciar este tipo de agressão por medo de ser ameaçada de morte. “As denúncias partem de vizinhos, amigos, ou de pessoas mais próximas às famílias. Os agressores são pessoas perigosas que podem até matar”, constata o delegado da Polícia Civil de Braço do Norte, Bruno Vaz Marinho.
O preconceito também atrapalha o atendimento do Conselho Tutetar e as investigações dos policiais civis.

“As pessoas se negam a falar com a gente. Ou quando chegamos na casa e vamos contar para a família, eles negam-se a acreditar. É importante para nós e para a criança que a família dê total apoio neste momento”, analisa a presidenta do Conselho Tutelar de Braço do Norte, Kassiana da Silva Elias.

Os conselheiros tutelares promovem, na tarde desta segunda-feira, a divulgação da campanha de prevenção contra o abuso sexual na cidade. Adesivos e panfletos serão espalhados nas escolas e repartições públicas. A intenção é diminuir o índice de violência sexual contra os menores de Braço do Norte.