Rafael Andrade
Braço do Norte

A costureira Morgana da Silva, 24 anos, foi vítima do 35° assassinato ocorrido na região. Ela foi molestada sexualmente e asfixiada até a morte na madrugada deste sábado, no bairro Bela Vista, em Braço do Norte, a poucos metros da porta da empresa onde trabalhava.

Ela deveria estar no serviço às 5 horas, mas nunca chegou. O seu corpo foi descoberto por um senhor de 72 anos que passava no local por volta das 12h45min. Morgana morava próximo a empresa onde trabalhava e sempre ia para o serviço a pé e sem acompanhante.

A polícia acredita que ela foi interceptada no trajeto de casa até o trabalho. A pessoa que a atacou rasgou toda a sua roupa e a levou para um matagal às margens da SC-438, tentou estuprá-la e a matou. O agressor fugiu sem deixar muitas pistas.

Conforme a polícia, duas testemunhas teriam visto um homem fugir do local do crime com um carro ainda não identificado. A polícia também irá analisar o conteúdo de algumas câmeras de segurança de empresas próximas, que podem ter flagrado a ação do tarado assassino.

O Instituto Geral de Perícias (IGP) de Tubarão recolheu o corpo e confirmou que Morgana foi asfixiada até a morte por uma das meias que calçava. A peça foi encontrada em sua garganta. Este é o quarto homicídio registrado em Braço do Norte este ano.

Os suspeitos dos três primeiros já foram identificados e aguardam julgamento. “Não é um tipo de crime comum no município e deixou os moradores assustados. Logo solucionaremos este caso”, promete o agente de polícia Alexandre Martimiano.

A brutalidade do crime
Pelas circunstâncias de como o corpo da costureira Morgana da Silva, 24 anos, foi encontrado neste sábado, a Polícia Civil acredita que ela tentou reagir a tentativa de estupro. Morgana tinha hematomas na região da nuca, o que leva a crer que o tarado a agarrou com força e tentou asfixiá-la com as mãos. A meia na garganta pode indicar que ela tentou gritar. Também haviam indícios de luta nas mãos da jovem. Morgana era casada há pouco tempo e tinha um filho de dois anos.