Os acidentes mais graves que resultaram no maior número de mortos este ano ocorreram em rodovias estaduais e na BR-101. Colisões em dias de chuva foram as mais comuns.
Os acidentes mais graves que resultaram no maior número de mortos este ano ocorreram em rodovias estaduais e na BR-101. Colisões em dias de chuva foram as mais comuns.

Rafael Andrade
Tubarão

As estatísticas são bastante preocupantes! Nos 19 municípios da região metropolitana de Tubarão (mais Orleans), 163 pessoas morreram este ano – até ontem à noite – em decorrência de acidentes de trânsito. E o que mais assusta é que os jovens motoristas, entre 19 e 25 anos, são a maioria das vítimas.
 

A expectativa para 2011 é que este número reduza, pelo menos na BR-101, onde a maior parte do trecho sul estará duplicada e, teoricamente, os acidentes frontais ocorrerão em menor quantidade. Será? “Esperamos que sim. Mas uma rodovia duplicada é novidade para os motoristas daqui. Existem regras para conduzir em vias assim. O motorista deve respeitar o limite de velocidade – 110 quilômetros por hora – e prestar atenção na mudança de faixa”, explica Alexandre Nunes de Freitas, agente da Delegacia de Trânsito e Crimes Ambientais de Tubarão.
 

Outro fator que pode ter contribuído para o alto índice de mortes é o aumento da quantidade de ruas asfaltadas. “Nos últimos cinco anos, dezenas de ruas receberam a camada asfáltica e, consequentemente, houve aumento na velocidade. Não é porque a estrada é de boa qualidade que é preciso correr como se fosse uma competição de Fórmula 1”, alerta Alexandre.
 

“Faremos algumas melhorias no trânsito urbano de Tubarão em 2011, visando justamente isto: controlar o número de acidentes graves”, revela o secretário de segurança e trânsito da prefeitura, Toni Bittencourt.
Várias operações especiais devem ser colocadas em prática no próximo ano em frente às escolas para evitar atropelamentos.

Motociclistas são as principais vítimas

As fatalidades no trânsito podem muito bem ser evitadas, principalmente as mortes envolvendo motociclistas. Somente este ano, até ontem, 61 pessoas morreram em acidentes com motos na região. “Um dado preocupante são as mortes de motociclistas que caem sozinhos após perder o controle do veículo. O verão é a estação em que ocorrem mais mortes de motociclistas, pois a maioria, principalmente os homens, pilota sem camisa, sem equipamentos de proteção devida, de chinelo, embriagados e sem respeitar o limite de velocidade”, alerta o agente Alexandre Nunes de Freitas, da Delegacia de Trânsito e Crimes Ambientais de Tubarão.
 

Uma morte recente na Cidade Azul ocorreu na noite do último sábado, na rua João Adolfo Corrêa, no bairro Passo do Gado. O pintor Amilton Corrêa, 36 anos, não sobreviveu após colidir em um Gol que cruzava a pista. “Ele estava pintando a casa da minha mãe e era um rapaz muito bom. Foi uma fatalidade, mais uma”, lamenta o tenente Darvi Savi, da Polícia Militar de Tubarão.
Outros acidentes preocupantes registrados na Delegacia de Trânsito são referentes a colisões envolvendo mulheres com Biz, entre 19 e 25 anos.

IGP de Tubarão já recolheu 243 corpos

A equipe do Instituto Geral de Perícias (IGP) de Tubarão é uma das mais atuantes do estado. Somente este ano – até a última terça-feira -, o órgão já recolheu 243 corpos na região. A maioria das vítimas morreram em acidentes de trânsito: 105.
O número preocupa as autoriadades locais e mostra que o recorde de tragédias nas estradas é batido a cada ano. “É importante que o condutor conheça a via e faça algumas revisões constantes no veículo, principalmente antes de pegar a estrada”, orienta o inspetor da Polícia Rodoviária Federal de Tubarão, Teodoto Tonon.

Números que assustam

• 2.821 acidentes com danos materiais foram registrados na região.
• 1.637 colisões ocorreram em Tubarão.
• 1.006 pessoas ficaram feridas.
• 502 ficaram feridas somente em Tubarão.
• 163 pessoas morreram, a maioria homens entre 19 e 29 anos.
• 9 mortes foram registradas no perímetro urbano de Tubarão.
• 61 motociclistas perderam a vida, a maioria em colisões em vias urbanas.
• Foram 136 atropelamentos.
• 54 pessoas foram atropeladas somente em Tubarão.
• 6 dos 159 mortos foram casos de homicídio no trânsito (condutores que colidiram em outros motoristas ou o próprio veículo por estarem em comprovado estado de embriaguez).

(Dados atualizados até o dia 22 de dezembro de 2010 – ontem -, correspondentes à região metropolitana de Tubarão, compreendendo 20 municípios).
* Fontes: Polícias Civil e Militar de Tubarão. Polícias Rodoviária Federal (PRF) e Militar Rodoviária (PMRv) de Santa Catarina. Institutos Gerais de Perícias (IGPs) de Tubarão e Laguna.