A Polícia Civil do Estado de São Paulo registrou um Boletim de Ocorrência (BO) contra a modelo que acusa Neymar de estupro. Najila Trindade criticou a corporação em entrevista ao SBT na última semana, durante entrevista com Roberto Cabrini.

Najila afirmou que a “a polícia é comprada” quando foi questionada sobre o suposto furto do tablet que continha o vídeo que prova as agressões de Neymar. As declarações da modelo foram repudiadas pelo Sindicato dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Sindpesp) e pela Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo (Adpesp).

Segundo documento oficial apresentado, “as declarações maculam não só a honra da Polícia Civil como instituição (…), mas, sobretudo, a honra objetiva dos servidores lotados no IIRGD (Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt), responsáveis pela coleta do material papidatiloscópico (digitais)”.