O avião de pequeno porte que caiu em uma área de mata próximo ao Aeroporto Santa Maria, em Campo Grande, no início da manhã desta quarta-feira (15), foi ao solo logo após decolar. Ele estava sendo pilotado pelo médico ginecologista Pedro Arnaldo dos Santos e tinha como passageira a esposa Silvana Maria Pizzo dos Santos. Os dois morreram.

O piloto Thales Vilela, que estava no aeroporto no momento do acidente contou que, depois de decolar, o avião sobrevoou aproximadamente 100 metros, deu três voltas em círculo e caiu em seguida. Ele explodiu ao tocar o solo.

O Campo Grande News apurou ainda que Pedro Arnaldo tinha mais de 20 anos de experiência como piloto e a aeronave estava em boas condições, nova e com manutenção em dia. Contudo, neblinava muito nO início da manhã.Piloto há 50 anos, Antônio Barbosa Nogueira, de 70 anos, também aguardava para decolar, mas desistiu devido ao mau tempo. ”Não pode sair com esse tempo. Em hipótese alguma o avião deveria ter decolado. Estava com visibilidade zero”, explicou.

Segundo apurado pela reportagem, o médico e a esposa seguiam para uma fazenda na região do Pantanal. O avião era do modelo Beechcraft Bonanza. 

O Corpo de Bombeiros está no local do acidente e tenta apagar as chamas. A aeronave ficou totalmente destruída.

—————-

Quase sete horas depois, corpos são retirados de destroços de avião

Quase sete horas após a queda do avião de pequeno porte, os corpos das vítimas foram retirados dos destroços. Médico ginecologista Pedro Arnaldo dos Santos, 67 anos, e a esposa, Silvana dos Santos, 65, estavam na aeronave, que caiu e pegou fogo em uma mata, próximo ao aeroporto Santa Maria, em Campo Grande. 

O trabalho para retirada dos corpos durou aproximadamente uma hora por conta da forma como houve a queda. O avião caiu de bico e a parte da frente, onde estavam as vítimas, ficou parcialmente enterrada. 

Titular da Delegacia Especializada de Combate ao Crime Organizado (Deco), Ana Cládia Medina, disse que dois malotes de documentos foram retirados da aeronave e irão ajudar na confirmação da identidade das vítimas, que foram identificadas inicialmente por um amigo da família. 

Delegado Rodrigo Camapum, da Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac), afirmou que os documentos encontrados na aeronave estavam regulares e havia plano de voo. 

Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) investigará as causas e circunstâncias do acidente aéreo. Equipe está vindo de Brasília e deve chegar à Capital no fim da tarde.