quinta, 23 de maio de 2019
Facebook Instagram Twitter Youtube
48 3053-4400

Saúde e Equilíbrio - Fernando Viégas Delgado

Sedentarismo: dicas para dar o primeiro passo

Publicado em 12/03/2019 00h10

Sedentarismo: dicas para dar o primeiro passo
Foto: Divulgação/Notisul

O sedentarismo é um dos principais fatores de risco que prejudicam a sua saúde. Em estudos recentes com mais de 1,9 milhão de indivíduos entrevistados, mostrou que o Brasil tem o quinto pior índice de sedentarismo do mundo, especialmente entre as mulheres. É normal que com a correria do dia a dia as pessoas sintam-se desmotivadas para começar a praticar uma atividade física. Entretanto, os benefícios do exercício físico vão além da disposição física. Melhora a qualidade de sono, controla o estresse, reduz o risco de doenças cardiovasculares, o risco de câncer, além de melhorar a qualidade de vida.

Para quem tem hipertensão arterial, diabetes ou elevação do colesterol, é prudente uma avaliação clínica para excluir a presença de doença cardiovascular assintomática que possa se manifestar subitamente no exercício. A melhor atividade física é aquela que traz o benefício do exercício com algum nível de prazer e diversão, convidando assim a ser feita novamente. Para a saúde do coração tanto faz se você está dançando, caminhando, nadando ou pedalando. Mas se o objetivo não é apenas saúde e sim alguma meta estética ou desempenho esportivo, a orientação de um educador físico é fundamental para alcançar os objetivos. Se seu objetivo é perder peso, é importante introduzir, paralelo, a reeducação alimentar. Se colocarmos a atividade física como um compromisso do nosso dia, com um grau de importância semelhante ao trabalho ou alimentação saudável, então mesmo um intervalo pequeno de tempo pode ser usado para treinar. Caminhar é um exercício acessível a praticamente todos.

É o movimento natural de deslocamento do corpo humano e basta intensificar levemente o passo para se ter uma atividade física que é suficiente para aumentar o gasto energético diário. Uma dica fácil para avaliar a intensidade da caminhada é perceber o ritmo da respiração: se caminhando com alguém, a conversa estiver fluindo fácil, então, há espaço para intensificar o ritmo. A caminhada deve ser intensa o suficiente para permitir que você fale algumas palavras, mas não uma frase longa. Quanto ao tempo e à frequência dessas caminhadas, é recomendado pelo menos 150 minutos semanais (por exemplo, 30 minutos, cinco vezes por semana) de atividade física leve a moderada. Por atividade leve a moderada, podemos citar a caminhada em um ritmo que torne a respiração mais ofegante, ou uma pedalada leve. Se for possível uma atividade mais intensa, como correr ou nadar, e a recomendação é metade disso, pelo menos 75 minutos semanais.

Geralmente um intervalo de dois a quatro dias entre sessões de treino são ideais para induzir ganho de condicionamento e melhor qualidade muscular e cardiovascular. Treinar apenas uma vez por semana também pode trazer benefício, mas o ganho em termos de condicionamento provavelmente será menor. E o joguinho de futebol de fim de semana? Muitos estudos reforçam a importância de sair do sedentarismo, mesmo que somente nos fins de semana, demonstrando benefícios em relação a quem não pratica nada. Entretanto, quem se exercita apenas no sábado e domingo (especialmente futebol, que é um esporte de impacto), corre maior risco de lesões, como estiramentos musculares, lesões articulares ou ligamentares.

Tenha em mente que assim como alimentação saudável, atividade física não deve ser uma obrigação, atribuindo a ela um caráter impositivo. Como já foi demonstrada em alguns estudos sobre alimentação, a proibição de certos alimentos como uma prescrição médica pode ter o efeito reverso, de aumentar o seu consumo! Sendo assim, a obrigatoriedade da atividade física pode aumentar a frustração de quem tem dificuldades em praticar. Devemos estimular conhecimento sobre os benefícios da atividade física e seu potencial em promover bem-estar, prevenção e tratamento de doenças. Neste sentido, a prática regular de atividade física faz parte de uma rotina saudável, e a motivação para o exercício virá naturalmente, uma vez que o indivíduo sente os benefícios da sua prática.

Como venho tratando em algumas colunas, atividade física pode ser uma forma de meditação. Yoga, Tai-Chi e outras maneiras de exercícios são usadas para treinar o corpo e o tornar mais apto para atingir estados elevados de concentração e desenvolvimento espiritual. Mesmo que não façamos exercício para este fim, inúmeros estudos científicos já demonstraram o benefício de atividade física para o manejo de condições como depressão, ansiedade, síndrome do pânico, insônia e transtornos de hiperatividade. Encontre algo que você goste de fazer e aproveite as mudanças positivas que um exercício físico pode trazer para a sua vida, fica a dica.


Dicas de saúde
“Gostaria de compartilhar, com todos que fizeram parte do processo de diagnóstico de Morte Encefálica e doação de órgãos, o quão emocionante é trabalhar nessa área em UTI. Todos os dias nos deparamos com conquistas e derrotas. E, para nós, a derrota é frustrante, triste e sempre nos perguntamos o que deu errado? As conquistas nos deixam motivados, confiantes, felizes... poderia dizer inúmeros adjetivos aqui! Nesse processo, lidamos com esses dois sentimentos ao mesmo tempo, um turbilhão de emoções para nós, profissionais da área, que acostumados a passar por isso quase todos os dias. E daí me pergunto: imagina pessoas que não fazem parte deste cotidiano e que ainda estão perdendo seu ente querido. Nosso trabalho é difícil, árduo, mas deixar todo seu sofrimento de lado e ajudar o próximo é uma dadiva e é algo grandioso. Emocionante! Ontem, tivemos todo esse processo e o desfecho foi um grande gesto de amor ao próximo! Por isso, todos os dias precisamos pensar no que realmente estamos fazendo em nosso dia-dia, cada passo nosso é observado, analisado e essa família fez esse gesto, pois conforme palavras deles mesmos: “sabiam que fizemos tudo que era possível e que ainda por cima se sentiram acolhidos por nós”. Então por isso resolvi compartilhar a emoção que senti em ter promovido, a essa família, a doação e, graças a todos vocês, podemos, ontem, salvar três vidas! Obrigada por fazer parte desta equipe! (Depoimento da enfermeira Karine, coordenadora do Cihdot Hospital Socimed). Essa doação foi para três pacientes: dois rins e um fígado. Parabéns à equipe multidisciplinar da Socimed.


Calendário

8-3 - Dia Mundial do Rim
16-3 - Dia Mundial do Sono


Dicionário de Medicina

Cihdot: Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante. Todos os hospitais públicos, privados e filantrópicos com mais de 80 leitos devem ter essa Comissão. Essas comissões devem ser instituídas por ato formal da direção de cada hospital e vinculadas diretamente à diretoria médica da instituição, sendo composta por, no mínimo, três membros integrantes de seu corpo funcional, dentre os quais um designado como Coordenador Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante.


VOLTAR
Notisul - Um Jornal de Verdade
LIGUE E ASSINE (48) 3053-4400 Rua Ricardo José Nunes, 346 - Jardins de Pádova - Santo Antônio de Pádua - CEP: 88701-571 - Tubarão/SC
Copyright © Notisul - Um Jornal de Verdade 2017. Desenvolvido por Demand Tecnologia e Bfree Digital