domingo, 16 de dezembro de 2018
Facebook Instagram Twitter Youtube
48 3053-4400

Saúde e Equilíbrio - Fernando Viégas Delgado

Cuidados no verão

Publicado em 04/12/2018 00h10

Todo o ano é a mesma coisa, o verão chega e nós profissionais da saúde começamos com as nossas orientações para a estação: higienização do corpo, hidratação constante, o uso de roupas leves e os cuidados com o vilão SOL. As dicas são fundamentais, uma vez que o calor e o aumento da transpiração propiciam o desenvolvimento de micro-organismos, como fungos e bactérias, que aproveitam as condições favoráveis para se reproduzir e desencadear um processo infeccioso e, quanto ao sol e seus efeitos, todos nós conhecemos. Há algo novo nesses cuidados? Herpes labial, larva migrans (popularmente conhecido como bicho geográfico), micoses como as que se manifestam na virilha, unhas e pés frieira), miliária (brotoejas) e insolação: todas elas são fáceis de se obter no verão. É importante lembrar também das fotoalergias.

A fotoalergia é definida como o processo alérgico que surge depois de uns dias que a pele foi exposta à radiação solar em indivíduos que fizeram uso, anteriormente, de certo fármaco, diferentemente do processo de fototoxicidade que também ocorre em áreas da pele que não foram expostas a esse tipo de radiação. Este tipo de reação alérgica, é conhecida como reação de hipersensibilidade do tipo IV ou tardia, na qual a radiação ultravioleta (UV) é imprescindível para transformar o fármaco/metabólito (como, por exemplo, anti-inflamatórios não esteroidais, fenotiazidas, sulfonamidas e tiazidas) num composto imunopatológico ativo, responsável por induzir à resposta imunitária.

Ainda temos as fitofotodermatose que são inflamações da pele causada pelo contato com alguns vegetais ou frutas cítricas como o limão. Para as doenças que são diretamente relacionadas com o sol, como queimaduras, reações alérgicas ao sol, fitofotodermatose (inflamação da pele causada pelo contato com alguns vegetais ou frutas cítricas como o limão) a prevenção é se proteger mesmo do sol.

Devem ser utilizadas roupas adequadas, filtro solar e evitar os horários de maior exposição à radiação ultravioleta B, entre 10h às 15h. Já para as doenças relacionadas com a umidade uma boa higiene da pele, tanto lavando quanto enxugando bem depois de saídas de praias e piscinas. Também não queremos uma pele muito ressecada, é necessário deixar essa pele hidratada também, assim como o cabelo, além do uso do filtro solar.

Para evitar a larva migrans (bicho geográfico), não há muito que fazer, uma vez que ela é desencadeada por um parasita que dá em cachorro, e o homem acidentalmente acaba pegando a larva. É muito comum no pé porque normalmente as pessoas andam descalças na areia. A solução seria proibir o cachorro de andar na areia e praia, mas como sabemos com o alto número de cães de rua fica inviável. A prevenção implica em mudança de hábitos de comportamento.
A brotoeja está relacionada com o aumento de suor nesta época do ano. Quando alguém transpira usando muita roupa no calor intenso, acaba formando as brotoejas – várias bolinhas vermelhas na pele. A prevenção é não hiperagasalhar. O ideal, no verão, é usar roupas leves e de algodão. Os sinais mais comuns do herpes labial são bolinhas de água que ardem, coçam e doem, entretanto, cada paciente pode apresentar um sintoma diferente. E a radiação ultravioleta é um dos fatores possíveis que podem desencadear um novo surto. A recomendação, é utilizar o protetor solar labial especialmente nessa época. A insolação também não pode ser esquecida, dependendo da gravidade, você pode ter desidratação, queda de pressão, taquicardia, falta de ar, e às vezes, até perda de consciência.

Para evitá-la, deve-se tomar bastante água, isotônicos, ou água de coco a fim de manter o corpo sempre hidratado. O indivíduo vai perdendo líquido e nem percebe, e depois pode evoluir para um caso bem mais grave. Estas são algumas das doenças de pele mais frequentes nesta estação do ano. É importante preveni-las, para garantir que a diversão não acabe com o seu verão mais cedo. As crianças na praia é um assunto especial. Todas as considerações anteriores nas crianças, tanto pela sua necessidade de brincar como por reagirem de maneiras diferentes que o adulto fisiologicamente, nos obrigam a cuidados redobrados. As crianças são os mais vulneráveis à desidratação, por isso o cuidado deve ser redobrado. Evite emergências e situações de risco em praias e piscinas.

Manter as crianças sempre em segurança sem tirar-lhes o gosto pela brincadeira ao ar livre não é tarefa fácil. Por mais que a criança seja esperta e inteligente, é responsabilidade dos pais o cuidado. No Brasil, entre os acidentes com crianças, os afogamentos estão entre as principais causas de morte e hospitalização na faixa etária de 1 a 14 anos.

Uma pulseira de identificação também é muito importante durante o passeio em praias e parques aquáticos para o caso de a criança se perder dos pais. Na pulseira devem constar o nome da criança, dos pais, endereço e telefones de contato, além disso a pulseira deve ser feita de material impermeável e as informações devem ser escritas com caneta que não apague na água.

Dicas de Saúde
Os filtros solares são substâncias destinadas a proteger a pele do sol (das radiações ultravioletas A e B). À curto prazo, eles protegem a pele de queimaduras e alergias solares e, a longo prazo, de envelhecimento e câncer de pele. O primeiro item a ser observado antes da compra é o Fator de Proteção Solar (FPS), que indica o grau de proteção da pele contra a queimadura solar. Peles mais claras necessitam de filtros com FPS mais altos (FPS 30), enquanto que nas peles morenas (mais resistentes), um FPS mais baixo é suficiente para garantir a proteção solar (mas no mínimo FPS 15). No rosto a proteção deve ser maior, o FPS (Fator de Proteção Solar) deve ser mais alto e específico para a delicada pele do rosto. Os cuidados com a pele das crianças devem começar desde cedo, ou seja, deve sim usar protetor solar, faça sol ou chuva! Isso também ajuda a “criar” o hábito, que será importante durante a vida toda. No caso de alergias, os protetores físicos e hipoalergênicos são melhores. As versões em spray ainda são controversas.

Calendário
1/12 - Dia Mundial da Luta Contra a Aids
2/12 - Dia Pan-Americano da Saúde

Dicionário de Medicina
Radiação Ultravioleta: A radiação ultravioleta, também referida na literatura como radiação UV é uma das emitidas pelo sol, e entre elas, é a mais energética. É um tipo de radiação eletromagnética que possui um comprimento de onda entre 200 e 400 nm e com uma frequência maior que a da luz visível. Deste fato, inclusive, é que deriva o seu nome, uma vez que violeta é a cor que possui maior frequência dentre as que os olhos humanos conseguem enxergar.

Metabólito: A radiação ultravioleta, também referida na literatura como radiação UV é uma das emitidas pelo sol, e entre elas, é a mais energética. É um tipo de radiação eletromagnética que possui um comprimento de onda entre 200 e 400 nm e com uma frequência maior que a da luz visível. Deste fato, inclusive, é que deriva o seu nome, uma vez que violeta é a cor que possui maior frequência dentre as que os olhos humanos conseguem enxergar.


VOLTAR
Notisul - Um Jornal de Verdade
LIGUE E ASSINE (48) 3053-4400 Rua Ricardo José Nunes, 346 - Jardins de Pádova - Santo Antônio de Pádua - CEP: 88701-571 - Tubarão/SC
Copyright © Notisul - Um Jornal de Verdade 2017. Desenvolvido por Demand Tecnologia e Bfree Digital