segunda, 17 de junho de 2019
Facebook Instagram Twitter Youtube
48 3053-4400

Saúde e Equilíbrio - Fernando Viégas Delgado

Novembro Azul e o câncer de próstata

Publicado em 13/11/2018 00h44

Novembro Azul e o câncer de próstata
Foto: Divulgação/Notisul

Um homem recebe a notícia de que tem um câncer na próstata e imediatamente começa a imaginar o tratamento e se depara com dois medos principais: impotência e infertilidade. Mas é preciso ter calma. Apesar de qualquer tratamento deste tipo provocar, sim, alguma alteração sexual e reprodutiva, a qualidade de vida volta com o tempo e muitos dos problemas mais temidos nestes casos têm solução. É muito importante que o paciente conheça os riscos antes de iniciar tratamento. Já ouvi muitos homens reclamando que não ejaculam mais depois da cirurgia. Mas isto é claro. Sem a próstata, não há como ejacular. Por outro lado, o orgasmo pode ser mantido na maioria dos casos. Tudo isso deveria ser conversado com o médico antes do tratamento em si.  E é só uma questão de tempo para que a qualidade de vida do paciente volte. O câncer de próstata costuma atingir homens a partir de 45 anos e é hoje o mais comum entre os que têm mais de 50 anos. Abaixo, as principais dúvidas dos homens sobre o assunto.


Quais os tratamentos mais comuns para o câncer de próstata?
Radioterapia e/ou cirurgia de retirada da próstata.


Vou ficar infértil após o tratamento?
Com a retirada da próstata o indivíduo deixa de ejacular, ficando, portanto, infértil. Ele não perde, porém, a sensação do orgasmo. Já com a radioterapia, o indivíduo vai deixando de ejacular aos poucos, mas também continua sentindo orgasmos.

Vou perder a ereção após a cirurgia?

A cirurgia provoca certa lesão na ereção, que pode voltar em boa parte dos casos. Homens acima de 65 anos têm cerca de 30% de chance de voltar a ter o mesmo nível de ereção que tinham antes do procedimento. Aqueles abaixo de 60 anos têm de 60 a 70% de chance.

Como reduzir a perda de ereção com o tratamento?
A cirurgia deve ser tecnicamente bem realizada e espera-se que o tumor não seja grande o bastante para ter afetado os nervos da ereção.

Vou deixar de ter orgasmo após o tratamento?
Apenas 20% dos homens reclamam de alteração na sensação do orgasmo. Mesmo que “a seco”, o orgasmo tende a se manter satisfatório para aqueles que não o perderam.

Fiz a cirurgia e fiquei com problema de ereção. Tem como resolver?
Sim. Atualmente o problema da ereção pode ser resolvido por via oral (com comprimidos), por injeções aplicadas diretamente no pênis pouco antes do ato sexual ou até mesmo com a implantação de próteses penianas.

Vou iniciar o tratamento. Poderei ter filhos depois?
Pelos meios tradicionais, não. Mas é possível congelar o sêmen antes da cirurgia ou fazer aspiração de espermatozoides dos testículos (ou do epidídimo) nos homens já operados.

Prevenção:  A causa exata do câncer de próstata não é conhecida, portanto, não é possível impedir a maioria dos casos da doença. Muitos fatores de risco como idade, raça e histórico familiar não podem ser controlados, mas baseados no que se sabe atualmente, existem riscos que podem ser evitados para reduzir o risco de ter câncer de próstata. Peso Corporal, Atividade Física e Dieta. Os efeitos do peso corporal, atividade física e dieta no risco de câncer de próstata não são claros, mas existem algumas coisas que podem reduzir este risco, como: Comer uma grande variedade de vegetais e frutas diariamente. Ser fisicamente ativo. Manter um peso saudável.

Opções de tratamento: Após o diagnóstico e estadiamento da doença, o médico discutirá com o paciente as opções de tratamento. Dependendo do estágio da doença e outros fatores, as principais opções de tratamento para pessoas com câncer de próstata podem incluir: Conduta Expectante, cirurgia, radioterapia, criocirurgia, hormonioterapia, entre outros. Estes tratamentos são geralmente realizados separadamente, embora em alguns casos, eles possam ser combinados. Em função das opções de tratamento definidas para cada paciente, a equipe médica deverá ser formada por especialistas, como urologistas, oncologista, cirurgião e radioterapeuta. Mas, muitos outros profissionais poderão estar envolvidos durante o tratamento, como, enfermeiros, nutricionistas, assistentes sociais, psicólogos e outros profissionais da área da saúde. Como estamos no “Novembro Azul”, aproveita esse momento e procure um urologista.


Dica de saúde
A prevenção do diabetes, para quem não tem ainda o diagnóstico da doença, passa por adotar um estilo de vida mais saudável e consultar o médico, fazendo exames regulares de diagnóstico. Portanto, e como sempre: adotar hábitos saudáveis é a dica da semana.

Dicionário Médico
Hormonioterapia: A hormonioterapia é um tratamento médico feito a partir de medicamentos com a função de inibir a atividade dos hormônios que tenham alguma influência no crescimento de um tumor.

Criocirurgia: O termo criocirurgia tornou-se de uso comum durante os anos 60, vários outros nomes foram empregados para sua designação: criocauterização, criocongelamento, crioterapia, terapia criogênica e cirurgia criogênica. Utiliza baixas temperaturas para matar células.

Datas Comemorativas da Saúde
10/11 - Dia Nacional da Surdez
14/11 - Dia Mundial do Diabetes
16/11 - Dia Nacional dos Ostomizados


VOLTAR
Banner ServerDo.in
Banner ServerDo.in
Notisul - Um Jornal de Verdade
LIGUE E ASSINE (48) 3053-4400 Rua Ricardo José Nunes, 346 - Jardins de Pádova - Santo Antônio de Pádua - CEP: 88701-571 - Tubarão/SC
Copyright © Notisul - Um Jornal de Verdade 2019.