Trinta quilômetros de congestionamento. Foi esta a enorme fila registrada durante boa parte da tarde e início de noite de ontem, na BR-101, entre o Túnel do Morro do Formigão, em Tubarão, e a região do bairro Caputera, pouco depois do acesso principal a Laguna. A lentidão de veículos parecia não ter fim. Tudo isso é reflexo das obras de recuperação do piso de concreto no túnel, que passa por sua primeira revisão após apenas quatro anos da sua inauguração, o que é um absurdo falando em relação à engenharia viária. E não venha alguém me enviar mensagem técnica que isso vai ocorrer a quatro 48 meses. Noventa dias foi o prazo estipulado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) para os trabalhos de reforma.

A fila registrada neste domingo é reflexo, lógico, do feriadão da Semana Farroupilha, no Rio Grande do Sul, quando tradicionalmente nesta época do ano milhares de gaúchos   escolhem o nosso litoral para aproveitar os dias de folga. A maioria, lógico, praticamente não pegou trânsito pesado no sentido Norte, mas enfrentaram o próprio âmago da paciência, ontem, quando tiveram que dirigir (ou melhor, queimar muito combustível) durante cerca de cinco horas para cruzar esses terríveis 30 quilômetros – ou mais.

Além dos irmãos rio-grandenses, muitos moradores da Amurel aproveitaram o dia de sol e, na volta, também encararam a saga da fila, que só tem um culpado: a falta de gerência em uma obra tão importante em um dos gargalos mais movimentados da 101: o famoso Túnel do Morro do Formigão.