Início Geral Prisões e fraudes reveladas na operação presságio em Florianópolis

Prisões e fraudes reveladas na operação presságio em Florianópolis

Foto: ND+ - Divulgação: Notisul Digital
Na quarta-feira (29), a segunda fase da Operação Presságio resultou na prisão de quatro suspeitos, incluindo ex-diretor de projetos da Fundação Franklin Cascaes e um contador, por emitirem notas fiscais falsas, contribuindo para desvio de dinheiro público.

Conversas comprometedoras

Prints de conversas entre os suspeitos revelaram planos para intimidar um suposto informante do esquema criminoso, evidenciando uma trama complexa de corrupção e ameaças.

Acusações graves

Além das prisões, outras figuras-chave, como o ex-secretário de Turismo, Cultura de Florianópolis, e um ex-gerente de Projetos da Fundação Municipal de Esportes, foram acusadas de diversos crimes, incluindo fraude à licitação e desvio de dinheiro público.

Desdobramento da Investigação

A Operação Presságio começou com suspeitas de corrupção na coleta de lixo na cidade, mas se expandiu para revelar uma teia de crimes envolvendo contratos ilegais, notas fiscais fraudulentas e até mesmo ameaças físicas.

Sair da versão mobile