#ParaTodosVerem Na foto, a candidata a presidência da Repúblico pelo MDB, senadora Simone Tebet
A confirmação com ampla vantagem de seu nome dá força a Sinome para tentar, enfim, liderar a construção de uma terceira via que faça frente a Lula e ao presidente Jair Bolsonaro (PL) - Foto: Luiz Cervi | MDB | Divulgação

Ainda sem o vice da chapa definido, com 262 votos favoráveis e nove contrários, o MDB confirmou, nesta quarta-feira (27), o nome da senadora Simone Tebet (MS) para a corrida ao Palácio do Planalto na convenção da sigla. O evento teve transmissão pela internet e a votação também ocorreu por meio de uma plataforma virtual. Apoiada pela federação partidária PSDB-Cidadania, que marcou presença na convenção emedebista com seus presidentes, respectivamente, Bruno Araújo e Roberto Freire, em seu discurso aos convencionais da legenda, Simone Tebet pregou confiança.

“Só nós, o centro democrático, tem a legitimidade para dizer que tem a capacidade de pacificar o Brasil, de unir o Brasil, para que o Brasil volte a ter segurança, estabilidade e com isso volte a crescer, gerar emprego e renda pra nossa população. Estou pronta para poder estar ao lado de vocês, trabalhando por vocês, para com a experiência de cada um de vocês, poder ser a voz do MDB, do PSDB e do Cidadania”, disse Simone. Após a convenção, em entrevista coletiva, ela reforçou que recebeu nesta quarta a mais árdua, a mais importante missão da sua vida.

“Sou candidata a presidente da República e como tal coloco a minha vida a favor do Brasil, da democracia e do povo brasileiro Nós vamos transformar o Brasil com amor e coragem”, afirmou a candidata. Simone Tebet tem 52 anos. Nascida em Três Lagoas (MS), ela é formada em direito e começou sua carreira política em 2003 como deputada estadual. De 2005 a 2010 foi prefeita de sua cidade natal por dois mandatos. Deixou o cargo para ser vice-governadora de Mato Grosso do Sul. Ela é filha do ex-presidente do Senado Ramez Tebet, falecido em 2006. De 2013 a 2014, foi secretária de governo até que, em 2015, foi empossada como senadora. Tebet ganhou projeção nacional especialmente depois da forte atuação na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia do Senado, no ano passado.

Vice
Mesmo com a declaração de apoio do PSDB à Simone Tebet, o nome do candidato a vice na chapa ainda não foi definido pelo partido. O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) é um dos cotados. “A definição da vice depende de uma série de conversas e entendimentos internos de sentido político e eleitoral, em que o propósito final será encontrar aquilo que seja o melhor para a candidatura. Qualquer que seja a decisão, estarei do lado dela [ Simone]”, reiterou o senador na convenção da federação PSDB-Cidadania, em Brasília, também ocorrida nesta quarta-feira. Na ocasião, os dois partidos oficializaram o apoio à emedebista e disseram que o nome para vice será definido até o limite do calendário eleitoral, no dia 5 de agosto.

Falta de unanimidade
A ampla vitória da senadora Simone Tebet no encontro deveu-se principalmente à desistência dos grupos contrários a sua candidatura de tentar barrar a decisão. A última cartada foi dada via Justiça na última segunda-feira (25), quando um aliado do senador Renan Calheiros, que apoia o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), tentou suspender a convenção – o pedido foi rejeitado pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin. A confirmação com ampla vantagem de seu nome dá força a Sinome para tentar, enfim, liderar a construção de uma terceira via que faça frente a Lula e ao presidente Jair Bolsonaro (PL). A candidata se lança na campanha com 4% das intenções de voto, segundo as pesquisas mais otimistas.

A maior dificuldade, no entanto, deverá continuar sendo a fragmentação do MDB. Representantes de ao menos 11 diretórios regionais gostariam que o partido estivesse discutindo o apoio a Lula, no momento o candidato que tem a maior perspectiva de poder. Outra ala gostaria de andar de mãos dadas com o atual mandatário, Jair Bolsonaro, também um candidato competitivo para a votação de outubro. A vitória de Simone Tebet é também um triunfo da ala do partido que apoiou seu nome contra todas as pressões de caciques importantes da legenda, como o próprio Renan Calheiros e o ex-presidente do Senado Eunício Oliveira (CE). Entre os líderes que bancaram a senadora até o fim estão o ex-presidente Michel Temer e o presidente nacional do MDB, Baleia Rossi.

Com informações da assessoria nacional do MDB

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul