Mauro Candemil realizará uma coletiva hoje, às 10 horas, para apresentar provas contra as denúncias feitas na última sessão da Câmara de Vereadores.

 Laguna

Após a criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara de Vereadores de Laguna na última quarta-feira, o prefeito Mauro Candemil decidiu conceder hoje, às 10 horas, uma coletiva em seu gabinete para esclarecer supostas fraudes ocorridas no ano passado na Agência Regional de Desenvolvimento (ADR) – que chegou a gerenciar -, como também nos primeiros meses de seu mandato à frente do município.

As acusações foram levadas ao plenário da Câmara pelo vereador Osmar Vieira (PSDB), que dividiu em seis partes. Quatro delas se referem a supostas irregularidades em aditivos de contratos firmados pela prefeitura. Esses contratos tratam de locação de software de sistema de gestão para a Secretaria de Saúde, abastecimento de veículos para fins particulares e locação de imóvel sem utilização pública. O contrato 025/2016, que também recebeu aditivo, não foi detalhado no plenário.

Outro ponto questiona a forma do pagamento de obras executadas nos morros do Hospital e da Nalha e na Estrada Geral da Figueira. Segundo o vereador, o contrato com a empresa terceirizada não teria sido publicado no Diário Oficial.

O último item do requerimento pede apuração de denúncia oferecida pela servidora pública estadual Simone Braga ao Ministério Público. Ela cita duas supostas fraudes em licitações, ocorridas na Agência de Desenvolvimento Regional de Laguna (ADR), e põe em xeque a nomeação do vice-prefeito Julio Willemann a presidente da Fundação de Meio Ambiente, o que, para a funcionária, seria ato de improbidade administrativa com danos ao erário.

Prefeito emite nota esclarecimento
Em virtude da ação ocorrida na Câmara de Vereadores, o prefeito Mauro Candemil publicou no sábado à noite uma nota de esclarecimento em sua fanpage, no Facebook. “Mantive-me sereno, providenciando que todas as respostas a estes questionamentos estejam, desde já, à disposição da Comissão Especial Processante. E observo, com exceção de um, todos os demais são aditivos a contratos da gestão passada, que foram, pela atual gestão, adequadamente analisados, corrigidas incongruências; todos pactuados com suporte em pareceres do corpo jurídico da prefeitura, para que não houvesse solução de continuidade ou interrupção de serviços essenciais nos primeiros 84 dias e subsequentes de nossa gestão, enquanto se elaboram novos editais para novas licitações para atendimento das necessidades inadiáveis do nosso município”, afirma Candemil, em nota.
E complementa ainda quanto à denúncia de uma servidora da 18ª ADR, de supostas irregularidades ocorridas no âmbito do órgão do governo do Estado. “Repudio qualquer alusão de minha participação, como secretário executivo, em qualquer ato ilícito. Acrescentando, ainda, que qualquer investigação de atos praticados no âmbito daquele órgão estadual, não se inclui na competência investigatória da Câmara de Vereadores. Ainda, assim mesmo repudiando tais insinuações caluniosas contra mim, provarei que tais denúncias são inverídicas, infundadas, armada por pessoas com a finalidade de obterem vantagens e criar obstáculos à minha administração, promovendo esta CPI, com a expectativa de tomarem o poder, porque não lograram êxito nas suas pretensões”, complementa.

Prefeito Mauro Candemil publicou uma nota em sua página no Facebook no sábado à noite
Prefeito Mauro Candemil publicou uma nota em sua página no Facebook no sábado à noite