A Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Laguna informou nesta quinta-feira, 20, que concluiu a investigação sobre crimes de falso sequestro, gerados a partir de uma penitenciária na Baixada Fluminense, no estado do Rio de Janeiro. Os trabalhos são resultados da Operação Japeri, que tinha apurou crimes de extorsão praticados contra residentes em Laguna e região.

Os policiais civis da DIC passaram a investigar o caso em dezembro do ano passado, após um morador de Laguna ter feito depósito de cerca de R$ 8 mil aos criminosos. Eles simularam o sequestro da filha da vítima e diziam que a matariam se não fosse feito o pagamento do resgate.

“Os golpes sempre foram aplicados da mesma forma e não ficaram restritos à Laguna e à região Sul”, acrescenta o delegado Bruno Fernandes, da DIC de Laguna, que coordenou a operação.

As linhas de investigação apontaram para dois homens detidos na penitenciária Milton Dias Moreira, em Japeri (RJ), que, de dentro da prisão, aplicaram os golpes a partir do dia 5 de dezembro do último ano.

Segundo a DIC, no período investigado foi descoberto que a penitenciária funcionava como um “call center”, já que não só a dupla, mas outros detentos também praticavam os mesmos golpes narrados.

Nesta quinta-feira, 20, com auxílio da Administração Prisional (Seap) do Rio, foram cumpridos os mandados de prisão preventiva expedidos pela Justiça de Laguna contra os investigados. Por já estarem presos, será adicionado à operação a revista nas celas em busca de possíveis drogas, armas brancas, e aparelhos celulares.

“Agora visamos a recuperação dos valores que foram depositados pelas vítimas nesse tempo em que durou a investigação. Durante os trabalhos, diversas outras vítimas, ao longo do Brasil, caíram na mesma modalidade criminosa. A título de exemplo foi identificada uma vítima, senhor de idade, que depositou R$ 2 mil, no estado do Paraná”, acrescenta Fernandes.