Depois de declarar que saiu do Ministério da Justiça porque Bolsonaro interferiu nos trabalhos da Polícia Federal, o ex-juiz federal Sérgio Moro apresentou ao Jornal Nacional da TV Globo conversas com o presidente provando a sua fala.

A saída de Moro foi culminada pela demissão de Maurício Valeixo do cargo de diretor-geral da Polícia Federal, publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (24), que de acordo com o agora ex-ministro da justiça, foi por imposição de Bolsonaro.

Durante o pronunciamento de renúncia, Moro deixou claro que Bolsonaro tomou a decisão para botar uma pessoa mais próxima dele e ter controle sobre a Polícia Federal.

Em contrapartida, Bolsonaro fez uma declaração pública dizendo que Valeixo saiu por decisão própria. E que Moro não estava satisfeito com a saída de Valeixo neste momento porque tinha interesse em uma vaga no Supremo. “Ele disse que aceitaria a substituição, mas em novembro, após ser indicado para uma vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)”, afirmou o presidente.

A conversa que Moro apresentou ao JN mostra que Bolsonaro enviou pelo WatsApp o link de uma reportagem do site O Antagonista com o título “PF na cola de 10 a 12 deputados bolsonaristas”.

Logo abaixo do link Bolsonaro escreveu que a investigação seria “mais um motivo para a troca” de Valeixo.

Moro respondeu corrigindo o presidente dizendo que o inquérito era conduzido pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes. “Diligências por ele determinadas, quebras por ele determinadas, buscas por ele determinadas”, respondeu pelo aplicativo.

Sobre a vaga no Supremo

Moro também mostrou uma conversa que teve com a deputada federal Carla Zambelli (PSL), aliadado presidente Bolsonaro.

Na conversa Carla praticamente implora para que Moro aceite a substituição de Valeixo e que faria de tudo para indicar seu nome ao Supremo Tribunal Federal.

“Por favor, ministro, aceite o Ramagem. E vá em setembro pro STF. Eu me comprometo a ajudar. A fazer JB prometer”.

Moro respondeu dizendo que não estava à venda.