A Liga Árabe aprovou nesta terça-feira (18), no Cairo, uma resolução pedindo que o Brasil “respeite o direito internacional” e abandone a ideia do presidente eleito Jair Bolsonaro de mudar a embaixada em Israel de Tel Aviv para Jerusalém. A medida significaria um reconhecimento da cidade como capital, o que alvo de disputas na região.

O grupo vai mandar uma carta de protesto, escrita na capital egípcia,  à nova gestão e, segundo o governo da Palestina, os embaixadores brasileiros serão alertados de que – se o plano for mantido – a região tomará as “medidas políticas, diplomáticas e econômicas necessárias” diante de um ato considerado por eles como “ilegal”.

Essa decisão da Liga Árabe foi tomada depois que autoridades palestinas pediram uma reunião de emergência diante do anúncio de Bolsonaro. Pesou ainda o fato de a Austrália sinalizar na mesma direção, no fim de semana. A decisão dos australianos é mais suave do que a brasileira, pois reconhece apenas Jerusalém Ocidental como capital de Israel.