#ParaTodosVerem Na foto, uma mulher morena, vestida com blusa vermelha, sorri. No fundo há um painel colorido
Tigresa Vip ganhou o direito de filiar-se ao PT do Mato Grosso na justiça. Ela deverá concorrer a uma das vagas para deputada estadual - Foto: Redes Sociais | Reprodução

O Partido dos Trabalhadores do Mato Grosso (PT-MT) terá que filiar uma atriz pornô após determinação da Justiça Eleitoral. Ester Caroline Pessatto, conhecida como Tigresa VIP, obteve liminar na Justiça Eleitoral de Mato Grosso, em uma ação contra o Diretório Estadual do Partido dos Trabalhadores, que garante o direito dela se filiar ao partido e ter a chance de disputar uma vaga para deputada estadual. Paulo Lemos, advogado de defesa da atriz, alegou no processo que Ester foi alvo de preconceito. Ela realizou a filiação por meio do site do PT, que foi confirmada no dia 2 de abril. O anúncio da pré-candidatura da Tigresa ocorreu durante um evento do partido, em Cuiabá, no dia 14 de abril. Entretanto, quatro dias depois, o Diretório Estadual fez uma votação por meio de um grupo no WhatsApp e decidiu pela suspensão de Ester.

O advogado da atriz afirmou que o Diretório “sumariamente” suspendeu a filiação, sem antes instaurar um processo com direito à ampla defesa. A defesa ainda citou um áudio vazado da deputada federal Rosa Neide (PT-MT). Na mensagem de voz, mandada para a presidenta do partido, Gleisi Hoffmann, a parlamentar diz que a filiação de Ester faria o partido ser “chacota nacional” e diz que Valdir Barranco tomaria as providências para impedir que isso ocorresse. Líderes do PT alegaram que a filiação de Ester foi suspensa devido à irregularidades na transferência do título de eleitor da atriz. De acordo com o partido, Tigresa teria se filiado no município de Barão de Melgaço (MT), sem a autorização do diretório municipal.

Na ação, a defesa do partido disse que Ester “havia solicitado a transferência de seu título de eleitor para o município de Barão de Melgaço/MT, onde reside atualmente. Materializada a mudança de seu domicílio eleitoral, a sua filiação partidária também foi transferida”. Após a decisão da Justiça, o PT não emitiu mais nenhuma nota sobre o assunto. O advogado de Ester, no entanto afirmou, por meio de nota, que “a verdade venceu”. “No caso Ester, o arbítrio, a hipocrisia e o preconceito foram derrotados pelo Estado Democrático de Direito. A verdade venceu a mentira. O Poder Judiciário demonstrou que não vivemos em terra sem lei. Restabeleceu a ordem e a justiça”, comemorou.

Fonte: Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso, Correio Braziliense, Partidos dos Trabalhadores do mato Grosso e rede sociais de Tigresa Vip
Edição: Zahyra Mattar | Notisul

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/portalnotisul