Aliados do presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmaram que entrarão nesta quinta-feira (20) com um pedido de impeachment do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Marco Aurélio Mello.

A ação é liderada pelos deputados eleitos, Filipe Barros (PSL-PR) e Bia Kicis (PRP-DF). Eles dizem que o ministro articulou com o PT a liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Nós vamos pedir o impeachment dele [ministro Marco Aurélio]. Estamos preparando a peça, dá 1 pouco de trabalho, mas a gente vai fazer”, disse a deputada federal Bia Kicis.

Questionada sobre qual seria o argumento, a congressista respondeu: “Crime de responsabilidade. Ele desrespeita até mesmo a vontade do Supremo Tribunal Federal”.

Segundo dados do Conselho Nacional de Justiça, a decisão do ministro pode beneficiar 169,3 mil presos.

A deputada federal eleita participou de protesto em frente ao Supremo logo após a decisão de Marco Aurélio. Bia Kicis classificou o despacho do ministro como “absurdo”.