A Polícia Federal e o Comando da Marinha vão investigar com urgência as misteriosas manchas de petróleo que assustaram banhistas em mais de 100 praias do litoral nordestino esta semana. A determinação, do presidente Jair Bolsonaro, foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União, na noite deste sábado.

Bolsonaro pede respostas em até 48 horas sobre medidas que serão adotadas para resolver o problema. A Petrobras afirma que o material se trata de petróleo cru e que não é compatível com substratos extraídos no Brasil. Laudo sigiloso da estatal encaminhado ao Ibama trata da hipótese de ser venezuelano o petróleo que contaminou o litoral nordestino.

Na segunda-feira, está marcada visita do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles às praias de Sergipe, Estado que tem a maior mancha registrada. O petróleo começou a aparecer na costa brasileira no início de setembro. Informações do Ibama apontam a área afetada: 130 praias em quase 60 municípios.