Após ser afastado do cargo de prefeito de Lauro Müller, Valdir Fontanella (PP), preparou recursos em sua defesa na expectativa de retomar o cargo ainda nesta semana. Fontanella foi afastado por 180 dias por ser investigado na Operação Seguindo Rastro, que investiga licitações de maquinários para obras nos últimos três anos na cidade, sob suspeita de corrupção ativa e passiva e prática de peculato.

O vice-prefeito Pedro Barp assume a prefeitura durante este período ou até que encerrem as investigações. 

Na segunda-feira (2), o Gaeco iniciou a operação em repartições públicas para recolher documentos de licitações e apreendeu também o celular do prefeito. Ao Portal 4oito, de Criciúma, o vereador Anderson Antônio Bez Batti (PP), líder do governo na Câmara, reforçou que Fontanella hoje não é réu, e sim investigado.

Conforme o Portal 4oito, Fontanella ainda não se manifestou sobre o caso. “O prefeito vai passar uma nota de esclarecimento e deixar a população ciente que essa investigação é no setor de locação de máquinas para obras. O prefeito tentou de todas as formas baratear as licitações no Rio do Rastro. Todos estão colaborando da melhor forma possível para que isso seja apurado”, disse Batti ao portal. 

Valdir Fontanella esteve em Florianópolis na segunda-feira e deve retornar à capital catarinense para formalizar o recurso de apelação para retornar ao cargo. De acordo com familiares, a notícia de afastamento o deixou em choque momentaneamente, mas agora ele está mais tranquilo e em reuniões com advogados para preparar sua defesa. Os advogados do prefeito terão acesso aos autos do processo nesta terça-feira.