#Pracegover Na foto, chuva intensa acumulada
#Pracegover Na foto, chuva intensa acumulada

O cenário de seca registrado no início deste ano em boa parte das regiões de Santa Catarina começa a mudar. O aumento no volume de chuva em abril e neste início de mai reduziu a estiagem e aumentou o abastecimento de água no estado. Mesmo com os índices melhores, o monitoramento hidrometeorológico será mantido, fortalecendo a gestão nas cidades catarinenses.

Essa é a recomendação do Boletim Hidrometeorológico Integrado n°38, publicado na quinta-feira, 12. Nas primeiras semanas de maio, a chuva ocorreu associada à passagem frequente de sistemas de baixa pressão em todos os níveis da atmosfera. Estes sistemas estão trazendo acumulados de precipitação mais altos. Em abril, foram registrados cerca de 200 a 300mm no Oeste do estado e de 50 a 150mm nas regiões do Vale do Itajaí, Serra e Litoral. Como resultado das chuvas intensas, os acumulados mensais ficaram muito acima da média climatológica no Oeste, especialmente no Extremo Oeste, onde a precipitação registrada ultrapassou 200mm do volume médio esperado.

Como consequência da melhoria nas condições de estiagem, houve significativa melhora nas condições no abastecimento urbano na maior parte do estado: 232 municípios estão em estado de normalidade; 22 em estado de atenção; e 2 em estado de alerta frente à estiagem. Para o fim de maio, porém, a previsão é uma mudança no padrão de chuva, indicando a chegada de um período mais seco em relação às primeiras semanas. E entre junho e julho de 2022, o volume de deve ficar abaixo da normalidade, o que faz manter o alerta sobre as condições do tempo. O Boletim Hidrometeorológico é uma publicação da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), por meio da Secretaria Executiva do Meio Ambiente (Sema), e da Defesa Civil de Santa Catarina, com a parceria da Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (Aresc) e outras agências reguladoras.

Turismo em Lauro Muller

Berço de um dos maiores cartões postais do Brasil, a Serra do Rio do Rastro, Lauro
Muller está no destino de quem procura turismo rural e contato com a natureza.
Com um grande potencial de crescimento no setor, a prefeitura realizou o I
Seminário Turístico, que contou com uma palestra do diretor Financeiro do Banco
Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), o ex-governador Eduardo
Pinho Moreira, para falar das linhas de crédito disponíveis para o setor. “Está
na missão do BRDE promover e liderar ações de fomento ao desenvolvimento
econômico e social, e Lauro Muller tem um potencial turístico imenso, onde
podemos atuar fortemente na disponibilização de recursos em linhas de crédito
para grandes empreendimentos como, restaurantes, hotéis e entretenimento que
vão gerar emprego e renda em toda a região”, explicou Moreira.

Pouso Redondo

O deputado Jerry Comper (MDB) ocupou a Tribuna da Alesc esta semana e fez um apelo ao DNIT em SCsobre uma dificuldade existente na BR-470, na região do Alto Vale. Ele citou uma reportagem que informa que o Dnit “prevê para cerca de 30 dias” a conclusão do projeto para construção da nova ponte sobre o Rio das Pombas. O emedebista destacou ainda que a ponte metálica foi construída em tempo recorde pelo Exército, com projeto executado pelo quinto Batalhão de Engenharia de Porto União com apoio dos batalhões de Porto Alegre (RS) e Ponta Grossa (PR).

Guabiruba

O empresário Osmar Vicentini (União), 65 anos, tomou posse na Assembleia Legislativa, em substituição ao deputado Felipe Estevão (União), que se licenciou por 60 dias do cargo por motivos particulares. É a primeira vez na história que o município de Guabiruba, no Vale do Itajaí, terá um representante no Parlamento estadual. Vicentini, que nasceu e sempre morou no município, destacou esse ineditismo: “Com muito orgulho, venho a esta Casa tomar posse. Pela primeira vez, nosso município terá um assento na Assembleia.”

Vacinas

A Secretaria de Saúde de SC alerta para a baixa procura por vacinas. Com relação à campanha contra a gripe, a cobertura vacinal está em 35%. Entre as crianças de 6 meses a menores de 5 anos, apenas 17,6% foram vacinadas; entre os professores, a cobertura está em 11,5%; e entre as gestantes, apenas 10,7%. No caso do sarampo, está em 22,9%. A cobertura vacinal nas crianças de 6 meses a menores de 5 anos é de 16% e nos trabalhadores da saúde de 37%. As Campanhas terminam no dia 3 de junho.

Migrantes

Uma iniciativa inovadora está garantindo o apoio pedagógico, a integração linguística e o avanço na formação dos estudantes migrantes e refugiados matriculados na rede estadual de ensino. O programa de Acolhimento a Refugiados e Migrantes (PARE) já conta com a adesão de 82 escolas da rede estadual. A proposta metodológica do programa é diferente das classes de ensino regular, valorizando o acolhimento dos estudantes, com atendimento em grupos menores de estudantes e em espaços diversos da unidade escolar.