Desde sempre, frequentei a pracinha que tínhamos no centro da nossa cidade, passando da época do chafariz para a reforma onde foi construída a pista de skate e instalados equipamentos como um pequeno labirinto, uma pista de patinação, um trenzinho de concreto e alguns morrinhos que a criançada se divertia a de bicicleta, tornando-se um espaço urbano aprazível e de intensa vida, local de encontro e permanência na cidade. Bons tempos aqueles, que ficaram apenas na lembrança.

Como uma espécie em extinção, a praça central de Tubarão foi sendo continuamente vilipendiada pelo desatino incompetente e inepto da má gestão pública, aliada à nossa postura “bovina”, onde aceitamos o que nos é imposto, e o pior, votamos elegendo representantes políticos cuja única preocupação é o fisiologismo partidário e os seus próprios interesses.

O primeiro golpe foi o corte da praça ao meio para a passagem de um incompatível fluxo de veículos, quando a atitude esperada seria justamente afastar este fluxo do local de lazer urbano.
Posteriormente, foi construído o museu que revelou-se verdadeiro mausoléu, considerando que poderia perfeitamente ter sido instalado na bonita e também inútil Casa da Cidade. Outra alternativa ao museu seria a sua construção no local onde hoje está sendo executada a prefalada e também questionável Arena Multiuso, cuja finalidade e utilização serão colocadas a evidente prova após a sua inauguração.

Não bastassem essas atitudes, pulularam no restolho da praça monumentos de toda ordem, cujo conjunto arquitetônico e paisagístico ressalta aos olhos.
Em suma, conseguiram a muito custo, tanto financeiro quanto do bem-estar da própria população, acabar com a praça central da cidade, representando verdadeiro progresso inverso. Restou-nos apenas a praça da Igreja Matriz de Oficinas, que passou por uma recente revitalização cujo resultado é a presença constante da população no local.
Em sentido contrário ao da nossa cidade, temos que parabenizar e seguir o exemplo da vizinha Capivari de Baixo, diante da aprazível e bem executada praça que possui, onde diante a falta de opção, também passou a ser frequentada pelos tubaronenses.

Convolo o bom senso da população e a sua mobilização para que na área remanescente do antigo Aeroporto Municipal seja executada uma verdadeira praça, com plantio de árvores, espaço para caminhada, uma quadra poliesportiva, torneiras de água, um pequeno coreto coberto, equipamentos para ginástica ao ar livre e especialmente bancos confortáveis para sentarmos, tudo vigiado permanentemente mediante a instalação em suas cercanias – jamais sobre a praça – de um posto da Guarda Municipal ou da Polícia Militar.
Exijamos isto, considerando que estamos à véspera das eleições, onde nosso precioso voto vale literalmente ouro.