Recentemente, recebi um recorte de jornal do Sr. Nazareno Schmoeller Souza, empresário tubaronense, que veio ao encontro de uma análise sobre o turismo feito por mim. Nessa caminhada, aproximadamente dois anos, observei as políticas dos governos federal e estadual para o setor, li artigos e livros. Um deles foi o livro coordenado pelo professor Domenico De Masi, O Futuro do Turismo de Santa Catarina, sugerido pelo docente Valter Schmitz Neto, e diversas reportagens, documentários afins, como, por exemplo, a da conquista de nosso estado, pela quarta vez consecutiva, de “melhor destino turístico do Brasil” escolhido pelos leitores da revista Viagem e Turismo.

Tal busca deu-se por acreditar que a cidade de Tubarão tem potencial turístico. Não só por possuir dois relevantes museus (Ferroviário e Willy Zumblick) – coisa rara em municípios com até 100 mil habitantes -, como também por ter água termal (Termas da Guarda e Rio do Pouso), entre outros atrativos (hotelaria, saúde e educação…), mas principalmente porque somos o maior polo do turismo de compras do sul do estado.

Somos polo pela nossa característica econômica – 40% das empresas são do comércio, pelo investimento do poder público municipal no setor, citam-se o apoio ao Natal Luz, o Dia D e investimentos de infraestrutura, mas o eixo diferencial está na organização de entidades empresariais e empreendedores que trabalham para a manutenção deste título: “Polo de compras do sul”.

Não posso deixar de mencionar que essa denominação se manteve graças ao nascimento do maior shopping do sul, o Farol Shopping, em Tubarão. Além de agregar lazer e entretenimento, fomenta vínculos empregatícios e exibe uma excelente estética, assim como melhorou significativamente o comércio convencional. Tal empreendimento faz com que os comerciantes acompanhem as novas tendências setoriais. Tudo isso se deve ao sr. Genésio A. Mendes. A ele, nossa gratidão!

A coroação “Polo de compras do sul” é feita com o Natal Luz, que possui diversas atrações. Entre tantas, a pioneira é a decoração natalina que transforma Tubarão numa cidade mais encantadora durante o dia e “mágica” à noite. Com esse cenário favorável, precisamos nos unir mais, fortalecer os laços em prol da Cidade Azul – e aqui desafio a CDL e a Unisul para trazer o Uniluz para dentro do Natal Luz – e que se faça um único processo quanto à obtenção dos benefícios da Lei Rouanet e da Lei de Incentivo à Cultura, Turismo e Esporte de Santa Catarina, a fim de que se melhore ainda mais o Natal de Tubarão.

Embora a CDL e a Unisul caminhem num processo evolutivo e constante no que se refere à esfera turística, precisamos, como cidadãos tubaronenses, fazer com que a comunidade de Tubarão se conscientize, liberte-se de ideias e/ou falas retrógradas, como frases que ainda ouço: “Tubarão não é e nunca vai ser uma cidade turística”. É bom lembrar que esse tipo de discurso trata-se de uma minoria, são opiniões isoladas, indivíduos avessos a inovações, sem perspectivas de progresso. Porém, constatamos que, após a Oficina de Turismo realizada em 1º de fevereiro de 2011, organizada pela prefeitura, verificou-se que muita gente acredita no turismo em Tubarão. Enquanto houver resistência de alguns, quem sai perdendo é o próprio cidadão. Diante disso, é imprescindível muito profissionalismo e dedicação dos empreendedores.

Aliás, faz-se necessário amar nossa cidade, elevar o nome dela aos quatro cantos do estado, do país e do mundo, enfim, ser “tubaronista” (como diz o Dr. Luiz Angelo Ramos Campelli). Enfatizo isso porque creio na potencialidade de Tubarão, no entanto, precisamos com criatividade educar constantemente os nossos olhos para podermos enxergar o lado promissor do nosso município!