Quaresma é um tempo de 40 dias simbólicos de retiro cristão como preparação para a Páscoa do Senhor e começa na Quarta-feira de Cinzas e acaba na Quinta-feira Santa, antes da celebração da Ceia do Senhor. Os objetivos pastorais da Quaresma giram em torno de alguns propósitos. Como despertar a fé nos que a têm adormecida ou não a possuem, reavivar a conversão a partir do evangelho e desenvolver a vida comunitária cristã. A Quaresma é ainda um tempo adequado para a reflexão da Palavra de Deus e para viver a penitência, jejum, caridade e Campanha da Fraternidade.

Conforme o texto base da Campanha da Fraternidade de 2009: celebrar a Quaresma implica, também, assumir juntos, num autêntico mutirão, como povo de Deus, a busca da paz e da concórdia, autênticos dons de Deus, mas frutos, também, de nossa co-responsabilidade. A dimensão comunitária da Quaresma é, no Brasil, vivenciada e assumida pela Campanha da Fraternidade, que é outro momento forte. Este ano, temos o tema Fraternidade e segurança pública e como lema: A paz é fruto da justiça (Is 32,17). O objetivo desta campanha é debater a segurança pública, pois as notícias de injustiças e violências estão por todo canto do país.

Podemos dizer que estamos acostumados com a violência, seja da forma que for, somente conversamos ou pensamos sobre segurança, quando somos envolvidos num problema, ou ainda quando assistimos um caso grave que abala a opinião pública. Por conseguinte, dias depois, esquecemos e corremos o risco de criticar a segurança pública como um todo.

Por isso, a violência não pode ser tratada exclusivamente dos órgãos de segurança públicas. A Campanha da Fraternidade convida a cultivarmos valores fundamentais, de respeito ao próximo, auxílio ao necessitado, resgatar nossas crianças e jovens das influências negativas, das drogas e da criminalidade, resgatar nossos adultos do desespero, e da falta de opção e resgatar nossos idosos do esquecimento e do abandono.

Somos convidados a ver as causas das violências e dos conflitos, da criminalidade e da impunidade, da violência no meio familiar, nos meios de comunicação social, do racismo, no campo, contra os povos indígenas e violência também no trânsito e na natureza e contra os defensores dos direitos humanos.
Desta forma, destacamos que a violência é uma das maiores preocupações com que a sociedade tem que conviver e buscar soluções. Portanto, precisamos estar atentos ao crescimento de nossas crianças, ao desenvolvimento de nossos jovens e ao suporte necessário aos nossos adultos e idosos segundo um princípio universal, o respeito e o amor ao próximo.