Sonhar é muito bom e é o primeiro passo para as grandes realizações. Mas sonho sem ação é apenas um atalho para a frustração. Todo ano a gente faz tudo igual. Renovamos nossas promessas para o Ano-Novo: ter sucesso profissional, mudar de emprego, encontrar um amor, ter filhos, parar de fumar, perder alguns quilinhos, ganhar dinheiro, viajar, conhecer lugares, engajar-se em uma causa social ou ecológica, trabalhar pela comunidade, mudar o mundo, ter uma vida melhor, ser feliz.
Mas não basta sonhar. O maior desafio é transformar os sonhos em realidade. Todos nós temos sonhos – ou já tivemos um dia, antes de sermos consumidos pela rotina, sufocados pelo peso dos afazeres diários. E o que ocorreu?

O aumento das responsabilidades e as dificuldades encontradas no decorrer dos anos nos impuseram uma trajetória que pode ter nos distanciado daqueles sonhos. Quantos de nós, hoje, mora onde não quer, faz o que não gosta, atura um chefe insuportável, não se relaciona bem com o companheiro (ou companheira), convive pouco com os filhos, equilibra-se em uma corda bamba, com um salário que mal dá para cobrir as despesas? Outros tantos, talvez, tenham cultivado sonhos que viraram pesadelos. Estão decepcionados com o trabalho, afundados em prestações da casa própria, acuados com a violência na vizinhança, atolados em dívidas no cartão de crédito, desgastados com a ginástica no orçamento para manter as aparências.

Mergulhados no ópio da rotina, acabamos por negligenciar os nossos sonhos e vamos, aos poucos, perdendo a capacidade de sonhar. Muitos acabam levando suas vidas sem direção, sobrecarregados e insatisfeitos, escravos de suas construções burocráticas, na fantasia de que um dia tudo mude se ganhar na loteria, se Deus mandar um bom tempo, se a esposa tomar tal atitude, se o chefe enxergar suas capacidades, se o governo mudar tal lei, se, se e se…

Você já imaginou como será sua vida dentro de alguns anos? Sairá de casa para trabalhar onde deseja? Estará fazendo o que gosta? Morando onde quer? Convivendo com os amigos que deseja? Se não houver ações claras e direcionadas da sua parte, não se iluda: tudo pode continuar exatamente do jeito que está. E daqui a exatamente um ano, você estará de novo fazendo as mesmas promessas no Ano-Novo. E amargando as mesmas frustrações.

Empreender sonhos não é obra do acaso. Requer gestos conscientes. Lute pelos seus sonhos para não ser mero coadjuvante dos sonhos de outros. Feliz Ano Novo e… Sonhos Novos!