Não há como esconder a indignação e o repúdio pelos atos de agressão e covardia possivelmente praticados pela genitora e pelo irmão da jovem mantida em cárcere privado, aqui em nossa cidade.

Certamente, o fato deve ser apurado pelas autoridades competentes, pois não podemos aceitar que atos cruéis e indignos como estes passem sem reprimenda pelo Estado. Por certo, era obrigação precípua da família desta jovem primar pelo sadio desenvolvimento físico e mental da mesma, o que aparenta não ter sido feito, porém, a sociedade não se esquivou de suas obrigações, pois fora bem representada pela vizinha, que, embora com medo de represália, não se calou, vindo a livrar a jovem do referido ato ilegal, cruel e indigno contra ela praticado.

Assim, não podemos aceitar que atos como estes caiam no esquecimento, ou que sejam abrandados pelo fato dos acusados serem usuários de drogas, pois a Comissão de Direitos Humanos da Subseção de Tubarão buscará que os agressores venham a responder pelos atos praticado nos termos legais, sempre sendo-lhes assegurado os direitos constitucionalmente previstos.