Nós, da chapa 2, que concorremos à direção da Cooperativa de Eletrificação Anita Garibaldi (Cergal), queremos atuar e queremos que os demais 13 mil associados atuem, como de fato e de direito somos: cooperados.
Pelo princípio maior do cooperativismo, todo associado é tão dono da Cergal quanto o presidente. Tanto é verdade que, se houver lucro ou prejuízo, será dividido igualmente entre todos.

Na atual gestão, que perdura quase 15 anos, os cooperados ou associados são tratados como simples consumidores de energia, e, se tiver alguma conquista, esta é apresentada como favor. É a tal da cortesia com o chapéu alheio.
Estamos unidos por renovação e transparência para: 1) que todos os cooperados saibam o quanto a Cergal arrecada e quanto e como gasta cada centavo; 2) adequar-se às necessidades de mais energia, inclusive alternativas e; 3) para aproveitar todo o potencial, hoje inexplicavelmente desperdiçado.
Por isso, se eleito formos:

1) Distribuiremos informativos com prestação de contas e transparência total, demonstrando a real situação econômica e financeira da cooperativa;
2) Criaremos uma cooperativa de crédito para os associados, sem taxas e custos de talão de cheques, como os sistemas Sicred e Unicred, presentes hoje em Tubarão;
3) Investiremos na produção de energia, garantindo o fornecimento às novas empresas e gerando mais empregos;
4) Faremos convênios e descontos no comércio com o acréscimo de serviços e facilidades;

5) Aplicaremos a clínica de atendimento com a contratação de mais profissionais médicos especializados;
6) Reformularemos o Estatuto da Cergal para permitir apenas uma reeleição;
7) Colocaremos um novo caminhão Munck e pessoal técnico nos postos de São Martinho e Camacho, agilizando o atendimento aos associados.