O Brasil é composto por diferentes grupos étnico-raciais, fruto do processo de colonização, o qual ocasionou grande importação de povos e culturas. Atualmente, pode-se dizer que o Brasil, em termos culturais, é uma das sociedades mais ricas do mundo. No entanto, essa colonização também trouxe a desigualdade social e discriminações, principalmente contra negros e indígenas. Em Capivari de Baixo, há grande diversidade cultural, mas também há preconceitos, é o que relata o depoimento de uma moradora.

A fim de averiguar as questões étnico-raciais na cidade de Capivari de Baixo, foi realizada uma entrevista com uma moradora. As perguntas abrangeram questões raciais e étnicas. A entrevistada, elaborada por Beatriz Alves foi feita com uma moradora de 25 anos, que relatou algumas experiências.

Thays Martins Anacleto, vive em Capivari de Baixo, cidade que a acolheu e na qual ela viu alguns casos de preconceitos étnicos e raciais. Thays conta que sofreu descriminações, como uma vez que uma cliente do local onde trabalhava declarou não gostar de sua cor e se negou a fazer as unhas com ela. Acredita que a relação étnico-racial é boa e agrega importantes culturas, conheceu pessoas de outros lugares do mundo e relata que foi uma experiência maravilhosa.

Porém, percebe que a maior causa do preconceito é o egoísmo e a ignorância das pessoas. As relações étnico-raciais estão presentes em todos os lugares. Muitas vezes acredita-se que o preconceito está apenas em cidades com grande população, mas a entrevista com a Thays mostrou que há preconceito nos lugares mais próximos de cada um, a descriminação está presente na mentalidade da nação.

No entanto, também há a outra face, como a troca de experiências e os ensinamentos apreendidos com outras culturas. Ainda há muita descriminação, mas a sociedade caminha para a igualdade social, o ser humano se difere em muitas coisas e as relações étnicos-raciais tem o poder aproximá-las, transformando a singularidade da sociedade em pluralidade.