Moramos em Tubarão, que orgulhosamente ostenta o índice de um veículo automotor para cada 1,93 habitantes, conforme pesquisa do IBGE realizada em 2007, constante do site da prefeitura – http://www.tubarao.sc.gov.br/f/a-cidade/dados-estatisticos-pdf/quantidade-de-veiculos-em-tubarao.pdf.
 
Ao que parece, poucos sabem, mas estamos na Semana Nacional do Trânsito, cujo lema é a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”. 
 
Também parece que poucos estão se importando com o retorno da Área Azul, onde uma nova empresa irá explorar financeiramente o sistema de estacionamento rotativo no centro da cidade, o que na prática não implica em redução do número de veículos.
 
Escrevo estas linhas pelo fato de que podemos realizar em nossa cidade pequenas adaptações com custo irrisório, visando desenvolver a utilização de bicicletas como importante meio de locomoção, seguindo o exemplo de cidades que se encontram anos-luz na nossa frente em relação ao transporte urbano, como Amsterdã, Copenhague, Berlim, dentre outras. Coincidentemente, a maior cidade do estado – Joinville -, com colonização predominantemente alemã, é conhecida como a Cidade das Bicicletas.
 
Destaco a forte cultura existente na Europa onde grande parte da população, independente da classe social locomove-se diariamente de bicicleta, existindo inclusive um sistema de bicicletas públicas. 
 
A nossa pequena cidade já comporta perfeitamente a locomoção entre os bairros de bicicleta, considerando que, exceto o Morro da Catedral, praticamente toda a sua extensão é plana, cortada pela inexplorada ciclovia da beira do rio e por avenidas que podem receber uma simples pintura destinando uma faixa lateral para bicicletas. 
 
Outra providência com custo baixíssimo seria a instalação de bicicletários, que poderiam ser vigiados com a cooperação da já existente Guarda Municipal.
De forma conjunta, poderíamos realizar uma campanha em parceria com o poder público, empresas e demais lideranças ativas, para o uso da bicicleta como meio de locomoção urbano, informando das adaptações e dos cuidados de segurança necessários.
 
Recomendo a todos, principalmente aos gestores públicos, a leitura do site http://www.viaciclo.org.br/portal/informacoes/pesquisas, onde constam pesquisas científicas e informações sobre os benefícios da utilização da bicicleta como meio de locomoção urbano. Recomendo também a leitura do livro Diários de Bicicleta, escrito por David Byrne, relatando a cultura ciclística em diversas grandes cidades do mundo.
 
A valorização da bicicleta, além de ser uma necessidade econômica, é uma conquista social a ser obtida com esforços conjugados do governo e da população, que poderá trazer benefícios diretos de melhoria no trânsito e nas capacidades física e mental dos cidadãos.
 
Destaco que já conto com o apoio de empresas modelo em nossa cidade, como a Genésio A. Mendes e Cia. Ltda., Coan Indústria Gráfica, Próvida, Dipsul Distribuidora, Fretta Construções, dentre outras.
 
Convoco todos os interessados em implementar essas mudanças na nossa cidade para unir esforços e adotar providências que efetivamente nos tragam benefícios em vez de continuarmos a fazer de conta que as iniciativas do poder público poderão resolver nossos problemas!