No artigo “Qualificação e Trabalho para Jovens Tubaronenses”, publicado neste espaço, ressaltei o protagonismo juvenil – como autores ou vítimas – nos altos índices de violência que assustam o país e, mais recentemente, Tubarão.
No Brasil, 54 jovens são assassinados diariamente e 60% da população carcerária têm idade entre 18 e 19 anos. Em Tubarão, 70% das vítimas possuíam de 20 a 32 anos de idade.

Os jovens, em especial os mais carentes, se mal orientados, sem perspectivas e desqualificados para o mercado de trabalho, tornam-se presas fáceis das drogas, principal motivo da exacerbação da violência, que não poupa ninguém, independente de hora e local. Razão bastante para que os esforços do conjunto da sociedade sejam direcionados a colocá-los no caminho da escola e do trabalho, oportunizando que ganhem a vida dignamente.

Com este objetivo, o Conselho Municipal de Segurança, Acit, CDL, OAB e Vipel verificaram “in loco” a bem sucedida parceria Tractebel/Combemtu, que já capacitou aproximadamente 220 jovens; muitos deles tornaram-se empregados na própria empresa ou em parceiras. Solicitaram aos gestores do programa que, junto ao Centro de Integração Empresa e Escola (CIEE), organizassem um seminário com o objetivo de motivar mais empresas de Tubarão a promoverem a inserção do jovem aprendiz no mercado de trabalho.

Tal evento, que será apoiado pela prefeitura de Tubarão, Sinpaet, Sindicont, Senac e Senai, ocorrerá no dia 4 de novembro de 2010, às 8h30min, no salão nobre da Unisul, com a seguinte programação: 1) Orientar a aplicação da lei nº 10097/2000, que estabelece cota obrigatória de 5% a 15% de jovens aprendizes sobre o nº de empregados nas empresas; 2) apresentar os cases de sucesso da Tractebel/Combentu, Celesc/CIEE, Kolina/Senac e Senai; 3) participação da superintendência regional do trabalho e do Ministério Público.

É preferível que o jovem entre nos estabelecimentos pela porta da frente, com a finalidade de trabalhar ou de consumir, do que, furtivamente, pela porta dos fundos, ou mesmo pela porta da frente, mas com uma arma nas mãos.
Participe! Cumpra a lei! Aumente a produtividade de sua empresa com sangue novo e contribua para resolver os problemas de violência em nossa cidade.