Um jornal que se diz transparente e apartidário não deveria deixar que sua coluna de opinião fosse usada apenas como propaganda política por uma chapa com propostas que não devem ser tomadas como realidade. Opinarei apenas sobre dois pontos cruciais da proposta:

Primeiro, a proposta da criação de uma cooperativa de crédito junto com uma cooperativa de eletrificação é algo irrealizável. Experiências no mundo inteiro provam que não se devem misturar tipos de cooperativismos. Sigamos o exemplo da Alemanha, onde as cooperativas de crédito dominam o sistema financeiro nacional. Elas, certamente, não estão misturadas com outros tipos de cooperativismo.

Segundo, para uma chapa que preza pela transparência e pela participação dos associados, afirmar que mudará o estatuto da cooperativa é estar se contradizendo. O estatuto de uma cooperativa só pode ser modificado com a participação de todos os associados e se a maioria deles aprovarem essa modificação, se a maioria quiser que a chapa no governo mantenha seu bom rendimento. Essa maioria deve ser respeitada.