O próximo ano reserva para você três acontecimentos importantes: uma morte, um casamento e um nascimento de alguém muito especial. Assim, é preciso preparar-se para sobreviver a tais emoções tão intensas e distintas. Irá chorar de tristeza e alegria como nunca chorou a vida inteira. Independentemente de ter um espírito esparramado ou contido, esses acontecimentos lhe tocarão profundamente. Por isso, leia atentamente as próximas linhas para sofrer um impacto suave e possibilitar reflexões sobre os ensinamentos contidos em cada evento que perpassarão por sua caminhada.

A morte baterá na sua porta. Começo com ela por entender que morrer é antes de tudo começar. A resistência em aceitar a morte com a resignação perseverante é grande ainda porque não aprendemos a morrer. Muitas vezes, nem merecemos morrer. Estranho afirmar que morrer seja questão de merecimento. Constitui-se o coroamento de um caminhar incontínuo, trôpego, que se renova a cada partida. Seja no conceito religioso ou científico, somos eternos. O resultado de nós nesse momento crucial existirá para sempre, pelo que fizemos, escrevemos ou pela matéria decomposta na natureza. Nossas marcas se perpetuarão na amplitude infinita. Abra a porta e aquiete seu coração. Não importa quem morrerá. Os outros ou você. Alguém desconhecido ou familiar. Vele com contemplação sublime esse momento. Entenda que nunca perdemos nada. Morrer é ganhar uma nova condição existencial. Morra para o ódio, a inveja, a intolerância, ou seja, para tudo que não contribui para o seu crescimento pessoal.

Um convite de casamento chegará até você. Poderá ser uma correspondência ou uma declaração de amor. Um casamento tradicional, ou a simples união entre pessoas perseguidoras do mesmo objetivo: a felicidade. Casamos todos os dias, com nossos amores, com nossos valores, com nossos sonhos. Casar é assumir um compromisso. Arcar com a palavra lançada. Reafirmar sua disposição para com a vida e seus desafios. Por isso, aceite este convite. Diga sim de boca cheia e coração pleno. E não se pré ocupe com as implicações que um sim pode acarretar em sua vida. Simplesmente viva a intensidade proporcionada pela coexistência. E principalmente, case-se com você. Aceite a tortura deliciosa do seu ser. Aceitar seu próprio convite implica em abrir-se para o outro. Casar é acrescentar mais conteúdo em sua vida.

Alguém já escrevera que a existência deveria terminar com o nascimento. Mas existir é cíclico, impossível delimitar começo e término. Pessoas nascem todos os dias. Alguns depois de uma calorosa espera de nove meses. Outros nascem aos dez, aos trinta, aos cinquenta anos… Infelizmente, muitos morrem antes mesmo de nascerem. Portanto, nascer não se dá só no parto. Podemos nascer a qualquer tempo e cada um de nós tem seu próprio tempo para nascer. Precisamos nascer muitas vezes numa mesma vida. Nascer para o amor, para a igualdade, para a liberdade, para a justiça e a ética. Nascemos quando perdoamos, quando falamos a verdade ou estendemos uma mão sincera. Assim, permita-se nascer sempre, infinitamente.

Esse será o seu próximo ano. Prepare-se, afinal você merece tudo o que a vida lhe proporcionará, fruto de suas próprias escolhas. Morrendo, casando ou nascendo, faça de seu novo ano um verdadeiro turbilhão de realizações!

Feliz Ano-Novo