Nos encaminhamentos do Seminário 35 Anos da Enchente de 74, ocorrido no dia 3 de junho, prestaram-se contas do que aconteceu desde o último, realizado em 24 de março, e anunciaram-se novas frentes de trabalho, visando prevenir, ou minimizar, efeitos de desastres naturais em Tubarão, a saber:
1) O governo do estado, através da Cidasc, apresentou cronograma para a elaboração do projeto (já iniciado) para manutenção da calha do Rio Tubarão, cuja data de entrega será 24 de setembro.

2) O governo municipal anunciou: a) recursos federais (cerca de R$ 5 milhões) para monitoramento, instalação de estações elevatórias e redragagem do rio; b) obras emergenciais para recuperação dos estragos resultantes das chuvas de janeiro de 2009, com recursos próprios.
3) A câmara de vereadores aprovou lei que institui o Dia Municipal da Memória da Catástrofe de 74, com intensificação das formas de prevenção e reação eficientes a desastres naturais, a ser levado a efeito todo dia 24 de março – data em que ocorreu a última grande enchente.

4) A Unisul incorporou-se à causa, criando o Núcleo de Pesquisas sobre Desastre Naturais, com o objetivo de subsidiar decisões governamentais.
5) A Defesa Civil de Tubarão apresentou diretrizes para atuar também preventivamente e não apenas depois da ocorrência. Em 31 de março, foi empossado o Comdec e, dia 8 de maio, o Gruem.
6) O Conselho Municipal de Segurança divulgou ação conjunta entre Ministério Público, prefeitura, Celesc, Cergal, Corsel e Águas de Tubarão, a fim de impedir novas invasões que, posteriormente, serão transformadas em áreas de risco (violência, inundação, desmoronamento e dificuldade de acesso do serviço público, etc.).

7) A secretaria de assistência social da prefeitura mencionou encaminhamentos para a construção de um Plano Municipal de Habitação, cuja finalidade seria abrigar tubaronenses que residem em áreas de risco.
8) A Area-TB (Associação Regional de Engenheiros e Arquitetos) sugeriu elenco de ações para conter a invasão das águas.

9) Da plateia, vieram preocupações quanto à necessidade de se educar para auto-proteção e para o que fazer, em caso de desastres com produtos químicos, na BR-101.
Dia 24 de setembro, será feita nova prestação de contas, com destaque para a conclusão do projeto de redragagem do Rio Tubarão, quando assumiremos novas frentes de trabalho.
Lembre-se: muito do que foi construído ou do que se está construindo, em Tubarão, poderá ir por água abaixo. Não se omita.