O custo Brasil, parece não ficar claro para nós, brasileiros, e por isso não nos atentamos às ações que beiram a irresponsabilidade, patrocinadas por parte dos gestores públicos e, em especial, uma parcela significativa dos detentores de cargos e funções públicas eletivas. 

Uma destas ações de irresponsabilidade trata-se dos desmembramentos de municípios e estados. No momento, discute-se no país a possibilidade de criação de mais sete estados brasileiros, elevando-se para 34 o número de Unidades Federativas no Brasil (estados). O processo mais adiantado, no momento em fase de plebiscito, é o Projeto de Lei de desmembramento do estado do Pará, criando-se, além dele, os estados de Carajós e Tapajós. 
 
Em recente provocação sobre o tema em meu Twitter, @valterschmitz, discuti o assunto, alcançando significativo interesse entre os que me acompanham nesta rede social. 
 
Dentre os que participaram, chamou-me atenção que os que detêm cargos públicos se omitiram de opinião, quase que fingindo não terem sido chamados ao debate (José Serra, Manuela…). Dois deputados federais participaram e opinaram: os deputados Roberto Freire e Edinho Bez, ambos com manifestações pouco claras sobre suas posições exatas, afirmando em especial a complexidade do tema para se posicionarem. 
 
Jornalistas de expressão nacional, também chamados ao debate, esquivaram-se, infelizmente, afinal de contas, são formadores de opinião. Já, entre os cidadãos “comuns”, a participação, com posições claras, foi expressiva e bastante forte.
 
Quase que a unanimidade se posicionou contrário, embora os argumentos que sustentaram a posição fossem distintos. 
 
Neste sentido, considerei a tabela abaixo fundamental para subsidiar ainda mais a discussão e a reflexão sobre o tema, em especial relacionado ao custo Brasil: 
 
 
OBS.: do Maranhão a Goiás, os que dão prejuízo. Do Amazonas a São Paulo, os superavitários. 
Por estas e por outras, de ordem da estrutura federativa que me posiciono, com clareza, contra esta onda desenfreada de multiplicação de municípios e estados no Brasil. Este é um processo, que definitivamente não tem nos levado a melhoria das condições de vida e benefícios sociais ao povo brasileiro. 
E você, o que pensa sobre este tema agora, visualizando estes dados oficiais?