Por mais que o tempo passe, o futebol continua firme e forte, sem perder seu fabuloso encanto.
Uma eterna paixão, verdadeiramente inexplicável!
E aí está ele, novamente, mexendo de todo jeito com os corações dos desportistas tubaronenses, trazendo de volta o gostoso sabor de um grande jogo entre clubes locais.

Novos tempos! – porém, velhos rivais com novas e grandes emoções. Isso mesmo: velhos rivais, ou seja, como antigamente, Oficinas x Centro da cidade.
Se de um lado, no da cidade, haverá em campo um Leão intermináááável, cheio de clássicos nas costas e de glórias mais que merecidas, desde os tempos em que sequer o velho rival Ferroviário existia; do outro, representando o bairro mais popular da cidade e jogando em casa, do outro lado do trilho, teremos um Peixe super faminto de gols e de resultados, conquistas estas que possam firmá-lo no cenário esportivo barriga-verde e, não duvidem, até do Brasil. Logo, vem aí um verdadeiro jogo de feras!

No momento, pela campanha, a razão dos resultados diz que dá Atlético (e olha que sou hercilista!), mas, por ser um jogo extremanente atípico e conhecer a velha raça colorada, cujo time se agiganta, e muito, quando o adversário é o inimigo número um, é muito difícil ter este subjetivo prognóstico como líquido e certo.
E, do próprio Hercílio, temos provas disso, lá no passado, quando, sabe-se, venceu jogos que estavam perdidos e, em contraponto, perdeu jogos tidos como absolutamente ganhos.

Alguém já disse: Jogo é jogado e lambari é pescado e, de mais a mais, quem conhece bem o brio hercilista, sempre é providencial e nada recomendável cutucar o leão com vara curta. Vai que o bicho enfurece e simplesmente não se assusta com o tamanho do tal peixe que chamam de fera dos mares. Então… é fera x fera.
Não tem outro jeito, é ir para ver.