Na mesma pesquisa, observa-se que 66,98% da população pesquisada tem a percepção de que cada cidadão é que tem a maior responsabilidade em preservar o meio ambiente, bem como 42,93% desta expressa sentimento de que a população em geral que é a principal responsável pelos danos causados ao meio ambiente, seguidos das indústrias, com 33,34%.

Revela a população entrevistada que 29,53% considera que o maior agente poluidor das águas é o esgoto doméstico, seguido com 19,01% pelos lixos residuais/comuns, 10,97% pelas indústrias e em quarto lugar pelos agrotóxicos, com 7,91%.

Asseguram que sabem o que é uma licença ambiental apenas 48,64% dos entrevistados e, quando questionados sobre o que faz quando se sente incomodado com algum aspecto negativo relacionado ao meio ambiente, 29,58% respondeu que conversa com o degradador e solicita respeito ao meio ambiente, 11,85% faz denúncia aos órgãos ambientais, porém, 33,57% não sabe o que fazer e 15,52% fica quieto, pois não quer se incomodar.

Por sua vez, 54,55% dos políticos (prefeito e vereadores) respondeu que conversa com o degradador e solicita respeito ao meio ambiente, 27,27% faz denúncia aos órgãos ambientais, porém, 9,09% não sabe o que fazer e 9,09% fica quieto, pois não quer se incomodar.

Em que pese a percepção acima revelada pela população ser fidedigna da realidade nua e crua do nosso município, ela também aponta como pensa ser a forma mais eficaz para combater a degradação ambiental, sendo que 43,43% dos entrevistados entende que seria “sensibilizar a população a preservar e respeitar o meio ambiente”, 27,75% acha que deve se “exigir fiscalização mais rigorosa por parte dos órgãos ambientais” e 6,11% pensa que seja “denunciar aos órgãos ambientais assim que constatar degradação ambiental comprometedora”.