Raul Pompéia entrou para o roll dos grandes escritores brasileiros com sua célebre obra “O Ateneu”. Nas emblemáticas mensagens grafadas no romance, uma carrega profundo simbolismo. Diante do colégio onde passaria os próximos anos de sua vida, Sérgio ouve de seu pai uma contundente constatação: “Coragem, conhecerás o mundo!”. Assim, pai e filho depositaram na escola suas expectativas quanto ao futuro de ambos. 
 
A educação abriria as portas à plenitude da existência. As fronteiras do mundo que o saber rompe são o passaporte para uma nova vivência capaz de produzir novas concepções de homem e sociedade. Santa Catarina é um estado multifacetado, fruto da confluência de diferentes culturas, as quais se congraçaram em uma unidade pacífica entre etnias completamente distintas. 
 
À exceção dos indígenas, vítimas de um processo de dizimação em massa, todos os povos firmaram seus espaços harmoniosamente, exemplo que poderia ser seguido pelo mundo inteiro. Em todos os municípios catarinenses edificados por imigrantes, desprovidos em sua grande maioria de formação escolar, é visível a preocupação com a educação.
 
Buscaram, com esforço hercúleo, deixar como herança o conhecimento, sustentáculo indispensável para a formação de um povo forte e empreendedor. São Ludgero é prova da prioridade que o ensino possui na cultura das cidades. Incrustada na região central, em edificação imponente, encontra-se a escola de educação básica São Ludgero, instituição educacional cujas festividades de seu primeiro centenário encontram-se em curso.
 
Receptáculo de ilustres figuras, o “colegião” procurou indistintamente semear educação de qualidade, pública e gratuita a todos são ludgerenses. Mais do que cumprir com sua função social, o educandário firmou-se ao longo da história como propulsor do desenvolvimento regional. O caminhar pelos corredores da escola é um retorno ao passado. Sem perder a conexão com o presente, preservam-se vários espaços de tempos outrora. 
 
A sala dos professores é um turbilhão. O debate acirrado entre as diferentes ideias constitui-se a verdadeira construção do conhecimento. Quem já teve a oportunidade de conviver mergulhado nesse universo sabe o quão rico e salutar é respeitar as diferenças e delas fazer o laborioso mosaico da descoberta cognitiva. Com um quadro de profissionais qualificados e comprometidos, identificados com sua gente e com o seu tempo, a escola São Ludgero continua a demonstrar o mundo e suas possibilidades a todos os seus educandos. 
 
Humberto Hodhen, uma das celebridades dessa aprazível localidade, eternizou-se ao sentenciar: “… o homem sintonizando sua vida individual com as vibrações da consciência, sintoniza-se com as vibrações do universo inteiro – isto é bom, é ser feliz.” (1998 p.108). Que os próximos 100 anos sejam novamente marcados pela plena sintonia dessa egrégia escola, permeando comunidades, professores, pais e a sua razão de ser: os estudantes.
Felicidades!