Eduardo Sehnem Ferro
Controller, contador e pós-graduado em Docência do Ensino Superior

O índice de inadimplentes no Brasil é alto, a crise enfrentada nos últimos anos contribui para que os brasileiros tenham dificuldade em pagar suas contas em dia. Porém além do fator crise, podemos dizer que existe um fator cultural e comportamental na população, onde não existe o habito de controlar as finanças pessoais. Conforme dados de pesquisas, apenas oito em cada dez brasileiros tem controle sobre suas finanças e em relação aos que usam cartão de crédito, 47% não tem domínio efetivo sobre o que compram.

Alguns comportamentos específicos contribuem para esses dados:
– Comprar por impulso: muitas pessoas adquirem produtos impulsivamente, em alguns casos até para suprir situações de ansiedade e desilusões, onde acabam comprando para remediar momentaneamente problemas pessoais, porém a dívida irá perpetuar por meses e em alguns casos até anos. Como já citei em outros artigos, antes de comprar é importante fazer as 3 perguntas para evitar o arrependimento ao comprar: Eu preciso deste produto? Tenho dinheiro? Precisa ser agora?

– Falta de uma meta/objetivo: quem não possui um objetivo ou sonho, acaba gastando todo seu dinheiro em itens supérfluos, sem qualquer planejamento e acaba por não saber onde foi toda a renda mensal!

– Falta de planejamento: não saber quanto irá ganhar e gastar durante o mês é um erro grave! Parece simples, mas a maioria das pessoas não possui um orçamento ou um planejamento financeiro mensal, o que acaba contribuindo para o descontrole e consequentemente o endividamento.

– Crédito fácil: usar o limite do cheque especial, pagar o valor mínimo do cartão de crédito e buscar empréstimos e crediários são comportamentos que devem ser evitados, os juros normalmente são muito altos e muitas pessoas acabam não conseguindo mais organizar-se após entrar nessa linha.

– Busca por status: lamentavelmente existem pessoas que acreditam que serão aceitos socialmente tendo itens da moda como celulares, carros, joias e roupas. Onde acabam entrando em dividas mesmo sem ter condições de pagá-las, apenas por o chamado status!

– Parcelamentos: o parcelamento é um atrativo para comprar, em muitos casos pelo baixo valor da parcela as pessoas são “fisgadas” e concretizam a compra! E este ato repetidas vezes, por longos períodos como prazo de pagamentos, acabam por causar um grande endividamento!

Pode-se dizer que “o dinheiro é uma questão de comportamento”, portanto controlar-se em determinados momentos ajudará a manter uma vida financeira saudável.