O trabalho realizado pela direção do Centro de Internamento Provisório (CIP) de Tubarão é considerado pelas mais diversas autoridades da área um exemplo a ser seguido pelas demais instituições do gênero.
Vasco Francisco da Silva assumiu a direção do CIP em fevereiro de 2006, sendo acompanhado ao longo destes seis anos pela Dra. Brigitte Remor de Souza May, que até mês passado respondia pela Vara da Infância e Juventude de nossa comarca e faz parte da diretoria da Associação Brasileira dos Magistrados e Promotores da Infância e Juventude.

Dra. Brigitte fazia visitas semanais ao CIP, conversava com os adolescentes, conhecia de perto o trabalho desenvolvido por Vasco e sua equipe e nunca deixou dúvidas ao declarar que a instituição de Tubarão é a única, em Santa Catarina, que oferece um serviço de excelência aos nossos adolescentes em conflito com a lei.
Os adolescentes internos participam ao longo da semana de várias atividades sócioeducativas como: informática, artesanato (inclusive com exposições anuais dos trabalhos no shopping e no fórum), alfabetização, escolarização, e profissionalização. E com a liberação são encaminhados ao mercado de trabalho através de parcerias com empresas locais.

Além da Dra. Brigitte, outras autoridades encaminharam ofício ao secretário de segurança pública manifestando aprovação ao trabalho da equipe e a forma de execução das medidas sócioeducativas, como os doutores. Lírio, Gean Carlo e Fabiano, juízes responsáveis pela infância e juventude nas comarcas de Tubarão, Criciúma e Laguna, respectivamente, e o delegado regional Dr. Renato Poeta.
Vale aqui citar parte do ofício emitido pelo magistrado da comarca de Laguna que diz: “É visível a diferença entre a evolução dos adolescentes internos no CIP de Tubarão em relação aos internos de outras instituições”.

Já em seu ofício, Dra. Brigitte destaca que no CIP de Tubarão os adolescentes são vistos como sujeito de direito e isso permite um respeito mútuo entre equipe e internos.
Diante de disso tudo, a equipe do CIP, mesmo triste pela forma com que tudo isso ocorreu, deve deixar a instituição com a certeza de dever cumprido. Merecem nossos parabéns a dona Vera Stüpp, secretária de assistência social; Vasco, coordenador; Isabel, assistente social; Sarai, psicóloga; Mara, pedagoga; e todos os agentes educacionais.