Muitas vezes, já ouvimos a história de que a estátua do Cristo Redentor no Alto do morro do Corcovado, no Rio de Janeiro, foi um presente da França, e que a estátua tivesse vindo para o Brasil de navio, mas a história não é bem assim.
Desde o ano de 1859, foi sugerida a construção de um monumento cristão no alto do morro do Corcovado pelo pároco do Rio de Janeiro, padre Pedro Maria Buss, na época à princesa Isabel, mas de imediato a ideia não foi muito aceita. Ela só foi novamente repensada no ano de 1921, prestes a comemorar o centenário de Independência do Brasil.

A ideia real da construção foi lançada em abril de 1922 e somente em 1923 é realizado um concurso para a escolha do monumento a ser construído e o vencedor é o projeto do engenheiro Heitor da Silva Costa, que mostrava Jesus carregando uma cruz na mão direita e um globo terrestre na mão esquerda, mas, atendendo ao pedido do arcebispo do Rio de Janeiro Dom Sebastião Leme, o engenheiro deu um sentido ainda mais religioso para a estátua. E, com ajuda do pintor e desenhista brasileiro Carlos Oswald, a figura do Cristo passou a ter um aspecto de cruz, como está ate o dia de hoje, demonstrando a forte religiosidade do Brasil. Para realizar definitivamente o projeto, foi preciso ir até a França e contratar o artista Paul Landowsk, que foi quem escupiu as mãos e a cabeça do Cristo.

Há registros históricos de que o estatuário francês também cedeu seus direitos autorais ao órgão que hoje é a Arquidiocese do Rio, visto que esta seria uma condição imposta pela igreja. Disso decorre a falsa história de que o Cristo Redentor foi uma doação da França para o Brasil.
Somente em 1926, foi dado início à construção da estátua do Cristo, que hoje é considerada uma das sete maravilhas do mundo e o cartão postal não somente do Rio da Janeiro e do Brasil, mas sim de toda a América do Sul, para a realização da obra mais de 700 homens trabalharam arriscando suas vidas, pois na época as condições de trabalho eram muito precárias. Mas, com todos os riscos que correram, nenhum acidente de trabalho aconteceu durante toda a construção.

Em 12 de outubro de 1931, foi inaugurada a obra do Cristo Redentor, com 38 metros de altura, sendo oito metros de pedestal e 30 metros de estátua, e pesando 1,145 tonelada, estando a 710 metros acima do nível do mar, e contendo no interior de seu pedestal uma linda capela de Nossa Senhora Aparecida, em função de ter sida inaugurado no dia em que ela é festejada. Muitos fiéis estiveram presentes na inauguração, o cardeal Dom Sebastião Leme, o presidente Getúlio Vargas e todo o seu ministério.
Ao chegarmos ao topo do Corcovado, aos pés do Cristo, além de termos uma sensação maravilhosa de paz e leveza, também temos uma linda visão de toda a bela cidade do Rio de Janeiro, com certeza para muitos uma paisagem inesquecível.