Unidas pelo compromisso profissional e pela amizade, um grupo de diretoras de escolas da cidade de Tubarão, por volta dos anos 80, decidiu reunir-se uma vez por mês para trocar ideias, discutir conteúdos e tomar decisões em conjunto, referentes ao trabalho junto às escolas.
 
No ideal de um bom desempenho no cargo que exerciam, lutavam e deliberavam para que o ensino resultasse em uma educação cidadã. Nasceu dessa iniciativa um grupo coeso e forte.
Exatamente no ano de 1986, a maioria delas deixou de exercer o cargo de direção. Este fato fez nascer em algumas a necessidade de permanecerem unidas pelo sentimento de luta e afeto que embalavam o grupo, antes como diretoras e … após esse desfecho, como amigas.
 
Nasceu daí o Clube da Amizade, em 25 de setembro de 1986. Continuaram os encontros semanais, em locais previamente marcados, como clubes, restaurantes, residências. 
Uma diretoria composta por quatro membros, indicados pelas 25 componentes, por dois anos coordenam as atividades do clube.
 
Convívio fraterno, lazer, acompanhamento das mudanças legais (leis de ensino, e de carreira), fortalecimento de laços de amizade, são objetivos cultivados ao longo dos anos do clube.
 
Vinte e cinco anos comemora neste ano o Clube da Amizade, 25 anos cujos nomes traduzem união, cumplicidade e afeto entre: Azoê da S. Costa, Benta F. Custódio, Dalva da S. Costa (em memória), Edélcia M. Ramos, Eva M. Filetti, Julia da S. Porto, Leda V. N. Tonelli, Maria Arlete S. Nunes, Maria das Dores Medeiros (Marita), Maria Izabel G. Neves, Maria M. Martins (Lia), Maria R. Martins (Léia), Maria Salete F. Ferreira, Marua Sarlete da S. Ferreira, Maria Zélia T. de Souza, Marilda N. Roque, Marina Liene B. Rosa, Marisa P. Benedet, Marússia Z. Gomes, Marlene A. A. Franco, Olíndia B. de Oliveira, Regina M. da Silva, Zali de S. Fréccia (em memória), Zelanda M. de França, Zuleida M. R. Medeiros.
 
Bodas de prata comemora o Clube da Amizade, ou Clube das Ex-diretoras, saudosamente chamado. Encontrou neste caminhar e existir muitos desafios, muitos altos e baixos, porém, sobreviveu no tempo graças a persistência, amor e afeto.
O sentir e o pulsar do coração das ex-diretoras de escolas se expressa nesse pensamento: “A amizade não conhece obstáculos, e não recua diante de sacrifício”.