Felipe de Souto
advogado

Caro prefeito, inicio pedindo desculpas pela falta no uso de pronomes às autoridades. Particularmente, creio que o excesso de formalidade afasta as pessoas e impede que as boas ideias e intenções prevaleçam. Já dizia o velho Chacrinha: “quem não se comunica, se trumbica”. Sejamos simples!

É importante dizer, antes de “ir aos finalmente”, que não sou partidário, nunca fui, não tenho bandeiras políticas e nem cores. Apenas um cara comum, como você, prefeito, que deseja dias melhores.

Sou tubaronense, nascido, criado, educado (às vezes, mal-educado!), advogado (não gosto que me chamem de doutor) e, apaixonado por Tubarão, porém, não sou torcedor de nenhum dos dois times locais.

Já faz muito tempo que deixei de assistir aos jornais transmitidos pelos canais abertos de televisão. Motivo: excesso de notícias ruins, pessimismo, muita crítica e poucas ideias.

Agora tenho visto este mesmo cenário de terror no meu quintal tubaronense. Críticas, reclamações, ofensas, e por aí vai. Qual ser humano consegue manter uma postura positiva e realizar boas ações diante de tanta pedrada?

Nós, que somos os destinatários finais da política, temos que exigir daqueles que elegemos boas práticas e retorno aos tributos que pagamos. Mas, podemos fazer isso de uma forma diferente: propositivamente.

Percebo que a cidade está realizando algumas obras de pavimentação (Centro, Monte Castelo, por exemplo). Há algum tempo resolvi tentar mudar meu estilo de vida urbano: abandonei meu carro e comprei uma bicicleta (de passeio, simples, não profissional). Hoje, meu principal meio de locomoção é minha bike: visito clientes, vou para meu escritório, shopping, supermercado, tudo com ela.

Ocorre que a cidade, apesar de ser bem estruturada (com os problemas que todas as cidades possuem, claro), não foi pensada, e talvez ainda não seja, para os ciclistas. Não existem muitos bicicletários, por exemplo. Uso postes e placas de trânsito para estacionar a minha bike.

A pauta política que tenho observado este ano inclui a reativação do estacionamento rotativo. Esse sistema é essencial, claro, mas “pensar” em desenvolver uma cultura alternativa e sustentável de transporte também é importante. Vide Holanda, que é modelo internacional de ciclismo urbano.

Caro prefeito, esta carta aberta é para, de algum modo, incentivá-lo a praticar a política do bem! Quando permitimos ouvir e temos iniciativa positiva, há condições para criar soluções incríveis.
Exemplo local: Domingo na Rua! Ideia simples, bacana, de pouco custo, e aprovada por todos.
Um abraço e boa administração!