T enho observado de forma cada vez mais crescente as ondas de cursos, palestras, whorkshops, entre outros, cujo tema é “motivacional”, como uma onda quase avassaladora, estipulando metas gigantes a serem alcançadas. Vamos lá minha gente, é só querer. Seja o profissional que você quer ser! Desânimo, frustração ou qualquer coisa do tipo é bobagem. Foca e vai.

De fato acredito que com foco, determinação e dedicação se vai ao longe. Mas perceba, hoje somos tão motivados e direcionados a agir dessa forma, que acabamos por esquecer que os momentos de quietude são necessários, são normais, tem de acontecer. Veja bem, estar desanimado, triste, deprimido por algumas vezes não é errado, afinal é saudável. Por certo somos humanos, aquele serzinho pensante com seus altos e baixos, que por vezes com oscilação emocional. Lembra? Ufaaa, que bom que não esquecemos.

Na escola aprendemos o ciclo da vida. A gente nasce, cresce, se reproduz (nem sempre. Olha a modernidade aí minha gente), envelhece e morre. Nesse processo todo aí as falhas, o erros são essenciais para construirmos nossa personalidade e amadurecermos. Existe aprendizado maior do que os erros? Se não agrega de forma significativa, pelo menos aprendemos que não é por ali que se vai. E a frustração, a tristeza com tudo isso é comum, ela deve ser sentida e expressada. Porque afinal nossas emoções também são um ciclo, uma complementa a outra.

Entenda a motivação por trás dos sentimentos de frustração. Quando vivemos esse “luto” emocional, passamos por todas as etapas, principalmente a do colo, sim o colo. Não banque o durão, peça colo, ombro, mão, tudo que tiver direito. Um novo olhar sobre a situação é sempre positivo. Afinal nos faz refletir. 

Depois disso tudo, geralmente vem a inquietude, essa situação incomoda, nos deixa desconfortáveis, e é aí, exatamente aí que vem a reação, a revanche, a hora de levantar, sacudir a poeira e dar a volta por cima. Agora sim, vamos lá, planeje, trace a meta, motive-se, aponte os erros para direcionar o novo caminho e corre, que a felicidade é logo ali.

Viu? Doeu? Claro que doeu. Mas veja como foi necessário, te fez mais forte, te fez evoluir e te transformou no guerreiro que és. Chore, sorria, aprenda, viva, a vida é bela!