No dia 1º de abril, uma nobre acadêmica do curso de agronomia da Unisul escreveu o artigo “Agricultura versus sustentabilidade”. Em fato disto, venho escrever minha opinião e de alguns outros acadêmicos de agronomia da Unisul.

Hoje, mais de 60% dos alimentos em nossas mesas vêm do fruto da agricultura familiar, onde estes têm uma contribuição significativa para o país, estado e municípios.
A jornada de trabalho destes agricultores, do amanhecer ao anoitecer em atividades como agricultura e pecuária, sendo pessoas que tiram seu sustento destas atividades, visando também o lucro.

Muitos de nós falamos da poluição. Mas, na agricultura familiar, existe muitas vezes um ciclo, passando de geração em geração, ou seja, herança da terra e de outros bens. Pensando desta forma, agricultor nenhum polui apenas pelo objetivo do lucro, pois se sabe que, a logo prazo, ele estará perdendo dinheiro, saúde, etc.
Então, muito tem que se trabalhar à consciência, e cabe a nós, técnicos, pessoas formadas nesta área, orientar e fornecer alternativas para estes agricultores, para que na cadeia produtiva não venha faltar alimentos em nossas mesas, sem que prejudique o meio ambiente.

Agora, generalizando o assunto sobre poluição: Será que pessoas do meio urbano preservam suas áreas com maior declividade? Será que os rios têm 20% das suas margens preservadas? Isso na agricultura é lei.
O assunto poluição nós temos que generalizar. Para se reflorestar uma área, por exemplo, tem que controlar formigas, plantas daninhas, entre outros.

A cada ano que passa, os nossos agricultores estão envelhecendo, os jovens estão buscando sua história fora da propriedade de seus pais ou de sua comunidade, pela dificuldade que estes enfrentam no processo produtivo. E isso não é bom para nós, nem para o país. Nós temos que incentivar estes jovens, pois é uma atividade de extrema importância. Ali gera emprego, renda, formações de indústrias e agroindústrias e ainda alimenta a nossa população, em muitos casos, são produtores humildes ou sem muita informação e acabam sendo discriminados.