Apopularização das cooperativas de crédito no Brasil já faz do conjunto deste modelo de instituição financeira o sexto maior banco do país. Os fatores que motivam pessoas físicas e jurídicas migrarem das instituições tradicionais para as cooperativas são vários e muito atrativos, como taxas de juros reduzidas, rendimentos geralmente superiores ao do mercado, e a possibilidade de ser dono do seu banco. Só na Unicred, por exemplo, são mais de 210 mil associados espalhados por 282 pontos em todo o país com um total de R$ 7,4 bilhões de ativos, cifras que este ano aumentaram 21% em relação a 2015.

Na Unicred SC/PR são seis cooperativas de crédito, 63 agências espalhadas por Santa Catarina e Paraná, onde o cooperativismo já conquistou mais de 64 mil pessoas. Estes números contribuem para que Santa Catarina seja o estado líder deste modelo financeiro no Brasil proporcionalmente a sua população, com 98% dos municípios atendidos por cooperativas de crédito. Um caminho vanguardista inspirada no modelo de primeiro mundo, visto que na Europa a participação das cooperativas de crédito alcança 20% do sistema financeiro, chegando a 30% em alguns países.

 Na prática, fazer parte de uma cooperativa de crédito é uma oportunidade além de lucrativa, segura. Lucrativa por tratar-se de uma instituição que visa agregar renda e desenvolver seus cooperados, onde o resultado positivo da operação é devolvido aos cooperados após assembleia. E segura porque na Unicred, além de receber o mesmo tratamento pela fiscalização do Bacen, também conta com o FG Coop, um fundo garantidor chancelado pelo Cooperativismo que foi criado e administrado pelo Cooperativismo de Crédito Nacional, visando resguardar os depósitos de nossos cooperados e igualar as condições de competitividade com os bancos comerciais protegendo depositantes e investidores das instituições associadas.  

Portanto, ainda que ofereça exatamente os mesmos serviços que os bancos tradicionais, – como conta corrente, cartões, seguros, previdência, entre outros, – a premissa de igualdade do cooperativismo fez com que as cooperativas de crédito modernizassem as relações financeiras ao aproximar seus clientes da realidade das instituições. O dia em que a sociedade brasileira entender a função e os Princípios Cooperativistas, teremos a maior instituição financeira do país.